27 de mai de 2010

2012, ILLUMINATI, 4ª DIMENSÃO E TRANSIÇÃO NA TV ABERTA

Amaury Jr entrevista Anna Sharp e Oscar Quiroga sobre alguns dos temas mais abordados na atualidade.

Fiquem na LUZ!







25 de mai de 2010

HISTÓRIA DE FÉ DO GAROTO JONAS - PADRE SILVIO ANDREI


Padre Silvio Andrei, conversa com a mãe do garoto Jonas que venceu muitos obstáculos. Alguns queriam que ela abortasse. Mas ela foi firme, dizendo que o Jonas é um PRESENTE DE DEUS.

Parabéns menino Jonas pela família que tanto o ama, siga sempre em frente, Deus o abençoe cada dia mais!

E que sua mãe receba muitas bençãos do Pai Celestial. Realmente, um ato de amor, e de defesa da vida.


E como diz o Padre Silvio "A Jesus e Maria consagro a minha familia"





RESPOSTA DE UMA BRUXA A REVISTA VEJA

Eu como uma bruxa, e coordenadora da Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, achei um desrespeito com a minha filosofia, a capa da Revista Veja desta semana, pois a mesma faz uma correlação com a bruxaria sobre o caso da promotora acusada de maus tratados. Isso mostra um grande pré-conceito em relação a uma filosofia que busca o amor e a harmonia com a natureza.

Nós bruxas, não podemos mais aceitar essa nova inquisição que está em nossa sociedade. As pessoas precisam saber que a bruxa não é má, que bruxa é um substantivo e não um adjetivo.

Na idade média fomos perseguidas e queimadas na fogueira por acreditar em um planeta livre e harmônico, de sabermos que existia uma evolução tecnológica e cientifica, afinal quantos cientistas foram acusados pela Santa Inquisição pelas suas idéias avançadas pela época. E esse mau entendimento da idade média, persiste até os dias atuais.

Como ficam os nossos ancestrais que iniciaram as terapias alternativas muito antes de qualquer medicina tradicional, como as Parteiras, as nossas Vovós que faziam os seus chás curativos, os grandes filósofos e cientistas com suas teorias magníficas e muitas outras pessoas que se aventuraram na ciência da natureza para saber o que ela poderia oferecer para melhorar a qualidade de vida das pessoas, pois os cientistas de hoje foram com certeza às bruxas e magos de ontem. E por esse motivo contrariando as expectativas de grupos (acima de qualquer suspeita) que se intitulavam tudo pela fé (cega), julgaram e condenaram milhares de seres humanos - principalmente mulheres e crianças - aos mais variados sacrilégios, sempre usando o nome do grande criador sem o mínimo de respeito. "Vocês se lembram de um cientista chamado Nicolau Copérnico que viveu no século XV, quando afirmou aos quatro ventos que a terra não era o centro do universo”? Pois então, ele estava sozinho nas suas teorias, contra uma população inteira. Teve de abandonar a idéia e se desculpar para com a sociedade para não ser considerado herético e ir para a forca. Hoje alguém ainda tem alguma dúvida sobre esta teoria? Então uma idéia original que foi uma dádiva de Deus, no início teve de ser reportada para os homens como uma idéia insana. E para aquele ser humano com idéias próprias não ter a sua vida ceifada, não pelo criador, mas pelos homens dentro de seus casulos, teve de se redimir em publico, e se esconder o resto de sua vida. Como nós agimos com as novas idéias? Os analfabetos do século XXI não serão mais aqueles que não sabem ler ou escrever, mas aqueles que não sabem aprender, desaprender e principalmente reaprender.

Como uma Revista de circulação nacional, comete uma injustiça como essa, com uma filosofia que está sendo resgatada, que precisa ser mostrada em sua essência ?

Uma filosofia de amor, respeito e harmonia com os seres a sua volta. Uma filosofia alicerçada por virtudes e valores, pilares de comportamento que visam acima de tudo compartilhar com o planeta Terra uma melhor qualidade de vida.

Gostaria de saber se a Revista Veja vai dar um destaque igual para mostrar essa filosofia, aposto que não, pois continuará a reforçar algo que não é real. Essa promotora pode ser e pertencer a qualquer linha filosófica ou religiosa, mas como toda certeza ela não é uma bruxa e nunca será.

Atenciosamente

Tânia Gori

Material gentilmente enviado pela amiga, irmã e bruxa, Chris Gimenez

PRATICAR MISTICAMENTE E SEM SE APEGAR

Buda disse: Chi-Bu-Ti, um Bodhisativa que alcançou a iluminação ou obteve o TAO deve praticar doação sem apegar-se u sem visar retribuição. Para não se apegar á doação, deve ter pureza e tranqüilidade dos seis sentidos (visão, audição, olfato, paladar, tato e pensamento) ou não ser influenciado por esses sentidos na hora da doação, isto é, doar independentemente do que sentir e nem guarda-lo no pensamento.
Buda ainda disse: Chi-Bu-Ti, deve-se doar segundo a sua bondade natural ou seu verdadeiro “Eu”, sem guardar o ato da doação ou esperar recompensa. Sabe porque? Porque ao memorizar a doação já terá apego a imagem. Tendo apego a imagem da doação a caridade é limitada, pequena ou de pouca duração. Quando a doação é feita sem apego ou sem guarda-la no pensamento, a caridade é ilimitada, grande ou de muita duração. O espaço rumo á direção lesta, você pode mensura-lo com seu pensamento? Chi-Bu-Ti respondeu: ñ. Buda perguntou novamente: Chi-Bu-Ti, os espaços em direção a Sul, Oeste, Norte, em cima e em baixo, poderia estima-los com pensamento? Chi-Bu-Ti respondeu que ñ.
Buda disse: Chi-Bu-Ti, o que um Santo que não se apega á doação ganha de caridade, é comparado aos espaços de todas as direções que são imensuráveis. Chi-Bu-Ti, quem anda no caminho da purificação deve permanecer e agir com o seu verdadeiro “Eu”, naquele lugar que ensinei, para eliminar os pensamentos incorretos e não ter apego nas doações feitas. Assim, não precisará pedir nada.
COMENTARIO: Ter pureza e tranqüilidade do dos seis sentidos é não praticar os itens a seguir: Visão (cor) – Doar para receber adulação dos outros, para ostentar diante de outrem. Audição (som) – Doar para receber elogios, fama. Olfato (cheiro) – Doar para receber o sustento e assistência de outrem.
Paladar
Tato
– Doar para receber comida gostosa. – Doar para receber prazer ou conforto oriundo do tato.
Pensamento lhe tratar melhor.
– Doar para ter o pensamento de que os outros vão lhe dar mais importância,
Agir misticamente é agir sem sentir o que fez ou embora tenha feito não se apegar ao que fez.
Falou cisão em 1° lugar, pois a visão é a locomotiva dos seis sentidos. Se a visão for pura e tranqüila os outros cinco sentidos serão mais fáceis de se comandar. Além disso, é mais fácil de ser contaminada.
Doar é para ter mais sorte ou ganhar algum beneficio. Com medo de que as pessoas interpretem erroneamente que doar sem se apegar é doar sem nada a receber, que Buda disse “quem doar sem pensar em recompensa terá mais sorte ou muito mais recompensa, como o espaço imensurável, do que quem pensa em ter recompensa”.
Este capitulo incentiva a não se deixar influenciar pelos seis sentidos na doação e praticar o mérito ou caridade externa sem se apegar, como um espelho que reflete a imagem de um objeto colocado á sua frente. Quando esse objeto é retirado, não há mais nenhuma imagem refletida no espelho.

Fonte: Livro O Sutra do Diamante - Com explicação

Pra quem é cristão, me recordo das palavras do Cristo: "Que vossa mão esquerda, não saiba o que dá a direita" ou "Se os teus olhos tiverem luz, todo o teu corpo será são"

Fiquem na luz!

23 de mai de 2010

GABRIEL CHALITA FALA SOBRE O PADRE SILVIO ANDREI

"Não julgueis para não serdes julgados" Jesus Cristo
"Aquele que nunca pecou, que atire a primeira pedra" Jesus Cristo
"Ama a teu próximo como a ti mesmo" Jesus Cristo

Neste vídeo o Gabriel Chalita, comenta sobre o Padre Silvio Andrei, que é amado por milhares de pessoas. Aguardaremos todos os fatos serem esclarecidos, porém, sem julgar ninguém. Estamos aqui para aprender a perdoar, e ajudar o próximo.  

Palavras muito equilibradas do Gabriel Chalita, que dizem tudo.

Vale a pena assistir.
Que Deus abençoe a todos.

"Espero que uma noite não apague a beleza de uma vida toda".( Dom Albano)  

Gabriel Chalita é doutor em Direito e em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, mestre em Ciências Sociais pela mesma instituição e bacharel em Filosofia.
É professor titular da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie, e professor nos programas de graduação e pós-graduação da PUC-SP, além de ensinar em outras faculdades.
Membro da União Brasileira de Escritores, é autor de diversas obras nas áreas de Direito, Filosofia, Política, Pedagogia e Biografia, como por exemplo “Educação: a solução está no afeto”, “Trilogia da vida” e “Vivendo a Filosofia". Foi Secretário da Educação do Estado de São Paulo e Presidente do Conselho Nacional de Secretários da Educação. É membro da Academia Paulista de Letras e tomou posse na cadeira número cinco, em março de 2006.


22 de mai de 2010

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA


No dia 13 de maio, é celebrado o Dia de Nossa Senhora de Fátima.

Saudamos a querida Santa que aconselha-nos a rezar o terço e a seguir Jesus Cristo.
Parabéns a todos os irmãos católicos que nutrem esta devoção mariana, que só os puros e simples de coração conseguem entender.

E o Manto Sagrado de Nossa Senhora envolva a todos em seu amor.

Graças a Deus!

Amém!

20 de mai de 2010

DICA MUSICA UNIVERSALISTA | MERE GURUDEV (KRISHNA DAS)



Que vocês vivam em paz!

Um abraço fraterno!

KODOISH KODOISH KODOISH, ADONAI TSEBAYOTH

MANTRA KODOISH, KODOISH, KODOISH, ADONAI, TSEBAYOTH

Oferecido por elevados Seres de Luz, este mantra tem poderes transmutadores e pode ser invocado para proteção pessoal e de ambientes

Kodoish, Kodoish, Kodoish, Adonai Tsebayoth

Pronúncia: Kodóish, Kodoish, Kodoish, Adonai Tsabeyót


Interpretação: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, Soberano do Universo – ou: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus das Hostes, e outras variantes, mas o importante é que independentemente da tradução a vibração deste mantra continua sendo sempre o mesmo e original se usarmos a expressão da tradição judaico-cristã. Porém, expressões traduzidas também podem ser usadas, mas não possuem o “momentum” apropriado que o mantra original possui.

O Mantra Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth une todos os biorritmos do corpo (personalidade encarnada) com os ritmos espirituais do corpo do Eu Superior (Ajusta dor de Pensamento) de modo que todos os sistemas circulatórios operem como um batimento do coração cósmico.

O Mantra Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth deve ser feito para discernir entre as forças celestiais espirituais e as “negativas”. A saudação ativa um padrão de ressonância com o Trono do Pai que as “forças negativas” não conseguem suportar quando cumprimentadas com essa saudação. Esta saudação é tão forte que as “forças negativas” não conseguem permanecer nem por um lapso de tempo na presença de sua vibração. O Mantra Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth cria distorções temporais-mentais-espirituais dentro do nosso corpo, que nos permitem crescer de um pequeno microcosmo ao nível próximo da Divindade.

O Mantra Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth é a chave da transformação e a vibração central coordenando todas as vibrações com o veículo espiritual do homem. Salientando particularidades e usos deste Mantra podemos definir que:

Deve ser repetido em números múltiplos de 7

Une os níveis inferiores de vibração com os níveis mais altos da criação.
A batida do coração humano é marcada de acordo com a função do Kodoish, Kodoish, Kodoish Adonai Tsebayoth. Este Mantra permite todo o sistema circulatório operar com a batida do coração cósmico.

A energia da Luz criada por este nome sagrado permite ao corpo experimentar a energia directa dos Mestres de Luz.

Este Mantra contém escalas adicionais de ressonância de cores, emanando 80 oitavas acima e 80 oitavas abaixo do nosso planeta.

Kodoish deve ser usado para discernir as forças negativas celestiais. Esta saudação coloca em movimento um padrão de ressonância com o trono do Pai, ressonância esta, que as “forças negativas” não podem utilizar quando são por ela cumprimentadas. De fato, esta saudação é tão forte que as “forças negativas” não conseguem permanecer, nem por um breve período de tempo, na presença dessa vibração.

Quando nós sentimos pressão e medo de origem desconhecida, é razoável admitir que esta pressão esteja sendo causada pela “hierarquia negativa”. Para que as energias opressivas sejam levantadas e afastadas simplesmente cante ou diga repetidamente, o “Código Sagrado”.

Este Mantra Sagrado activa redes especiais de sintonização de ressonância com a Irmandade da Luz e permite que a energia se junte para trabalho e culto mútuo.

A estrutura do código de Amor e Luz deste Mantra Sagrado está focalizado no 3o. Olho – a semente de cristal, e lhe permite elevar esta semente de cristal ao Conselho de Luz no Firmamento de Orión.

O poder da Trindade do Kodoish, Kodoish, Kodoish, Adonai Tsebayoth pode criar um hiper-vórtice ou um pilar de energia divina pelo qual o hiper espaço-tempo pode ser atravessado por este corpo físico, nos colocando em ressonância com outros níveis de inteligência divina.

Esta fórmula também pode ser utilizada para invocar a Proteção Divina, uma vez que esta expressão sagrada é uma conexão entre todas as hierarquias, como uma Saudação da Irmandade com o Pai em comum.

Ele cria um pilar de energia de proteção que pode ser usado em situações práticas para resolver problemas, curar e elevar a consciência e o que for preciso para projectar energia para fazer o trabalho do Reino.

Quando nós cantamos e visualizamos a trindade do Kodoish, Kodoish, Kodoish, Adonai Tsebayoth, acima do nosso terceiro olho, junta-se a nós um coro das Alturas conforme Seres Integrais de Luz nos mostram suas aparências. Conforme nós continuamos a usar esta saudação, nós somos cumprimentados pela Irmandade e Anfitriões do ofício de Shekinah (Espírito Santo), do Cristo e do Pai Divino.

Kodoish, Kodoish, Kodoish, Adonai Tsebayoth pode ser recitado antes de dormir e assim que acordamos.

O que Metatron tem a nos dizer sobre este mantra:

Queridos,

Ao pronunciardes este mantra, frequências densas são elevadas muitas oitavas acima. Toda vez que ocorre a verbalização desse mantra, essências de Luz que estão muito distantes de vós, ouvem. Portanto, queridos, se desejais limpar vossos lares e /ou ambientes que se encontram negativos sejam quais forem as negatividades, utilizeis esse sagrado mantra.


Esse mantra é imemorial. Todos os povos antigos e sagrados o conhecem. Nós o trouxemos às vossas mentes e o ancoramos em vossos planos, como quem ancora diretamente o Fogo Divino e presenteia às Essências Divinas aqui viventes com essa via de proteção. Assim entende-se a necessidade de verbalização definitiva e determinada que consagre e eleve este mantra para que ele ecoe em todas as partículas que compõe o ar e possa então transmutar cada uma dessas partículas, inclusive as de vossos corpos físicos. Esse mantra pode auxiliar-vos a transmutar o vosso material genético, e neste aspecto temos muitos seres que estarão aqui para vos auxiliar, basta apenas entoá-lo.


EU SOU Metatron.

Fonte: Blog Sol de Sirius

18 de mai de 2010

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ FAZ A PASSAGEM?

Pergunta: Mestre Kuthumi, você poderia explicar o que acontece a uma alma depois que ela deixa esta vida, e se os nossos entes queridos podem ainda nos ver e nos ouvir? Quanto tempo a alma se mantém as suas personalidades após a morte? Elas se lembrarão de outras vidas passadas e dos entes queridos de outras existências, também?

Kelly L. – Canadá

Eu Sou Kuthumi da Grande Fraternidade Branca, do Conselho da Luz. Venho em resposta ao chamado da minha mensageira, esclarecendo esta pergunta a alguém que deseje recordar.

Eu lhe agradeço por esta pergunta, pois a minha resposta auxiliará a muitos neste momento de recordação. Em primeiro lugar, eu devo explicar que todas as almas como você viajam nas dimensões e na grande rede de Luz. Vocês são seres de Luz inter-dimensionais. O corpo que usam é simplesmente um envoltório. Sim, um envoltório que abriga o seu conjunto de corpos, incluindo o seu centro de poder e a sua personalidade.

Quando vocês dão o seu último suspiro, um aspecto seu se eleva para o próximo plano de vibração, para a próxima dimensão. O cordão de prata que os manteve ao seu corpo físico é rompido. Não pode haver retorno, uma vez que isto ocorra.

Vocês se reúnem a muita energia de luz, e todos os aspectos de vocês são unidos neste momento. As memórias da personalidade são incorporadas à memória da alma, aos registros akashicos.

O corpo físico é descartado, pois o seu propósito foi concluído e a matéria física retorna à Terra. Nenhuma posse material pode viajar com vocês quando fazem a transição. Tudo é deixado para trás. Afinal, vocês foram somente os guardiães daquelas coisas. Somente as possuíram por uma partícula de tempo. Agora vocês percebem onde está o seu verdadeiro tesouro. Quanta energia de luz vocês trazem com a sua alma? Vocês armazenaram as suas riquezas no Céu ou na Terra?

E, deixem-me lhes perguntar: “O que vocês chamam de Céu. Vocês acham que ele está aqui – em meu reino, distante de vocês? Fora do alcance? Vocês acham que isto é para negociar?”

Meus amigos, eu lhes digo a verdade. Escutem as minhas palavras, por favor. O Céu está disponível para vocês agora – agora em seu planeta. Vocês não precisam esperar até que façam a transição, não. Eu lhes conto o segredo. São vocês quem criam o seu próprio Céu, sim, realmente. Assim é. Alguns de vocês podem não estar acreditando de mim. Para aqueles eu digo: “Abram os seus olhos, abram o seu coração. Busquem a verdade.”

O Céu não está distante de vocês. É verdade que em outras dimensões vocês podem criar à vontade – mas somente se o seu coração estiver aberto, amoroso e a luz da sua alma, forte e radiante. Pois é então que vocês estão abertos e fluem com a Fonte. Assim vocês podem criar qualquer coisa com um desejo puro, com um pensamento puro. Pois nenhuma emoção negativa reside aqui. Eu falei anteriormente do seu eu sombra, o desafio final a superar. Agora eu lhes falo das recompensas quando superarem este desafio. Isto é possível de realizar agora em seu plano da Terra.

Procurem elevar a sua própria vibração. Permitam ao outro a responsabilidade por eles mesmos. Afastem-se de todas as vibrações e emoções inferiores. Quando fizerem isto, começarão a “armazenar as suas riquezas no Céu.” Vocês compreendem que cada instrumento físico que usam é somente seu por um tempo, para tornar a sua jornada na Terra mais fácil.

Vocês não podem levar nada com vocês. Portanto, vivam simplesmente, em paz. Respeitem toda a vida. Cresçam na luz, na verdade.

Quando isto ocorre, vocês passam por um processo de transformação. Vocês começam a criar o seu próprio Céu. Como eu disse em ensinamentos anteriores, a luz mantida na alma é a única energia que vocês trazem quando fazem a transição. Esta é o seu “tesouro”.

Todas as memórias de encarnações e experiências anteriores são mantidas na memória da alma. É com esta vasta biblioteca da alma que vocês são capazes de se conectar em uma sessão de uma vida passada. Vocês viajam nas linhas do tempo, também. A alma é uma forma de energia de luz que se move. Portanto, vocês podem viajar facilmente para as opções e experiências do passado, do presente e do futuro. Durante tal recordação alguns entes queridos de experiências passadas – existências passadas – podem ser lembrados, mas nem sempre. Vocês interagiram com muitas outras almas, principalmente as da sua família de alma, e nem todas podem se apresentar em uma sessão. Algumas já podem ter escolhido encarnar para mais aprendizagem e expansão.

Vocês perguntam se aqueles que fazem a transição (morrem) podem ainda vê-los e ouvi-los. A resposta é, naturalmente. Um dos benefícios de retornar ao lar é que vocês podem viajar na maior parte das dimensões. Certamente vocês são capazes de visitar os entes queridos da encarnação anterior que conhecem e amam. Notem que eu uso o tempo presente aqui. O amor não cessa quando vocês fazem a transição. Ele continua. Vocês continuam – em uma forma diferente. A alma nunca se esquece. Isto é porque uma alma pode ficar preocupada quando um ente querido está com muita tristeza e lágrimas pela sua passagem.

A alma que faz a transição ainda tem amor por aqueles deixados para trás, e não deseja que eles fiquem tristes. Assim ela se aproxima, freqüentemente esperando que a sua energia proporcione conforto.

Infelizmente, muitos não estão cientes de sua presença, pois eles são ainda incapazes de ver e de sentir a sua presença. É somente quando vocês se abrem, estudam e aprendem a abrir os seus sentidos superiores, é que são capazes de ver o espírito, ouvir e sentir os amados que fizeram a transição.

Não há necessidade de medo, não. Entretanto, muitos experimentam esta emoção porque eles não estão “despertos”. Muitos transmitem através da minha mensageira (Lynette) que eles freqüentemente sentem a minha energia, a minha presença, quando lêem as minhas palavras. Eles não me temem. Entretanto, vocês não podem me ver – embora eu saiba que alguns de vocês podem. Eu lhes peço que não tenham medo de outras dimensões ou daqueles que fizeram a transição. Posso dizer também que determinados programas de TV que dramatizam este reino, freqüentemente auxiliam a aumentar o medo de outros que fizeram a passagem. Os criadores destes programas armazenam verdadeiramente os seus tesouros na Terra na forma de dinheiro. Na melhor das hipóteses, eles lhes proporcionam um exemplo disto.

Eu espero que a minha resposta dê a muitos de vocês uma maior compreensão do processo da transição, e do espírito, atenuando assim qualquer medo. Eu também dei uma meditação para aqueles que desejem viajar nas linhas do tempo do conhecimento e da experiência.

Kuthumi

Fonte: Site Luz de Gaia

16 de mai de 2010

AUTOINICIAÇÃO

Hoje em dia, muitas pessoas falam em iniciação.
Todos querem ser iniciados.

Mas entendem por iniciação uma alo-iniciação, uma iniciação por outra pessoa, por um mestre, um guru.

Esta alo-iniciação é uma utopia, uma ilusão, uma fraude espiritual.

Só existe auto-iniciação.
O homem só pode ser iniciado por si mesmo.

O que o mestre, o guru, pode fazer é mostrar o caminho por onde alguém se pode auto-iniciar; pode colocar setas ao longo do caminho setas ao longo da encruzilhada, setas que indiquem a direção certa que o discípulo deve seguir para chegar ao conhecimento da verdade sobre Si mesmo.

Isto pode e deve o mestre fazer - suposto que ele mesmo seja um auto-iniciado.

Jesus, o maior dos Mestres que a humanidade ocidental conhece, ao menos aqui, durante três anos consecutivos, mostrou a seus discípulos o caminho da iniciação, o que ele chama o "Reino dos Céus", mas não iniciou nenhum dos seus discípulos.

Eles mesmos se auto-iniciaram na gloriosa manhã do domingo de Pentecostes, às 9 horas da manhã - como diz Lucas nos Atos dos Apóstolos.

Mas esta grandiosa auto-iniciação aconteceu só depois de 9 dias de profundo silêncio e meditação; 120 pessoas se auto-iniciaram, sem nenhum mestre externo só dirigidas pelo mestre interno de cada um, pela consciência de seu próprio EU divino, da sua alma do seu Cristo Interno.

E esta auto-iniciação do primeiro Pentecostes, em Jerusalém, pode e deve ser realizada por toda pessoa.

Mas acima de tudo, o que quer dizer Iniciação?

Iniciação é o início na experiência da verdade sobre si mesmo.

O homem profano vive na ilusão sobre si mesmo.

Não sabe o que ele é realmente.

O homem profano se identifica com o seu corpo, com a sua mente com as suas emoções.

E nesta Ilusão vive o homem profano a vida inteira, 30, 50, 80 anos.

Não se iniciou na verdade sobre si mesmo, não possui autoconhecimento, e por isso não pode entrar na auto- realização.

O que deve um homem profano fazer para se auto-iniciar?
Para sair do mundo da ilusão sobre SI mesmo e entrar no mundo da verdade?

Deve fazer o que fez o primeiro grupo de auto-iniciados, no ano 33, em Jerusalém, isto é, deve aprender a meditar, ou cosmo-meditar.

O iniciado dá tudo e não espera nada do mundo.

Ele já encerrou as contas com o mundo.

Pode dar tudo sem perder nada.

O auto-iniciado é um místico não um místico de isolamento solitário, mas um místico dinâmico e solidário, que vive no meio do mundo sem ser do mundo.

Onde há plenitude, aí há um transbordamento.

O homem plenificado pelo autoconhecimento e pela auto-realizaçã o transborda a sua plenitude, consciente ou inconscientemente, saiba ou não saiba, queira ou não queira.

Esta lei cósmica funciona infalivelmente.

Faz bem pelo fato de ser bom, de viver em harmonia com a alma do Universo.

Por isto, para fazer bem aos outros e à humanidade, não é necessário nem é suficiente fazer muitas coisas, mas é necessário e suficiente ser bom, ser realizado e plenificado do seu EU central, conscientizar e vivenciar de acordo com o seu EU central, com o seu Cristo Interno.

A plenitude da consciência mística da paternidade única de Deus transborda irresistivelmente na vivência ética da fraternidade universal dos homens.

Para ter laranjas - laranjas verdadeiras - não é necessário fabricá-Ias.

É necessário e suficiente ter uma laranjeira real e mantê-la forte e vigorosa.

Nem é necessário ensinar a laranjeira como fazer laranjas pela mesma sabe, com infalível certeza, como fazer flores e frutos.

Assim, toda a preocupação de querer fazer bem aos outros sem ser bom é uma ilusão tão funesta como o esforço de querer fabricar uma laranja verdadeira sem ter uma laranjeira.


Mais importante que todos o fazer é o ser.

Onde não há plenitude interna não pode haver transbordamento externo.

Para fazer o bem aos outros deve o homem ser realmente bom em si mesmo.

Que quer dizer ser bom?

Ser bom não é ser bonachão, nem bonzinho, nem bombonzinho.

Para ser realmente bom deve o homem estar em perfeita harmonia com as leis eternas da verdade, da justiça, da honestidade, do amor, da fraternidade, e viver de acordo com esta sua consciência.

Todo o fazer bem sem ser bom é ilusório, assim como qualquer transbordamento é impossível sem haver plenitude.

O nosso fazer bem vale tanto quanto nosso ser bom.

O ser bom é autoconhecimento e auto-realização.

Somente o conhecimento da verdade sobre si mesmo é libertador; toda e qualquer ilusão sobre si mesmo é escravizante.

Os mais ruidosos sucessos sem a realização interna são deslumbrantes vacuidades; são como bolhas de sabão - belas por fora, mas cheias de vacuidade por dentro.

1 % de ser bom realiza mais do que 100 % de fazer bem.

Auto-iniciação é essencialmente uma questão de ser e não de fazer.

Esta plenitude do ser não se realiza pela simples solidão, mas pelo revezamento de introversão e extroversão.

O homem deve, periodicamente, fazer o seu ingresso dentro de si mesmo, na solidão da meditação e depois fazer o egresso para o mundo externo, a fim de testar a força e autenticidade do seu ingresso.

Todo auto-iniciado consiste nesse ingredir e nesse egredir, nessa implosão mística e nessa explosão ética.

Os discípulos de Jesus fizeram três anos de aprendizado e nove dias de meditação depois se auto-iniciaram.

Descobriram a verdade libertadora sobre si mesmos.

A verdade que os libertou da velha ilusão de se identificarem com o seu corpo, com a sua mente, com as suas emoções, saíram das trevas da ilusão escravizante, e ingressaram na luz da verdade libertadora:

"Eu sou espírito, eu sou alma, eu e o Pai somos um, o Pai está em mim e eu estou no Pai... o Reino dos Céus está dentro de mim. "

E quem descobre a verdade sobre si mesmo, liberta-se de todas as inverdades e ilusões. Liberta-se do egoísmo, da ganância, da luxúria, da vontade de explorar, de defraudar os outros.

Liberta-se de toda injustiça, de toda desonestidade, de todos os ódios e malevolências - de todo o mundo caótico do velho ego.

O iniciado morre para o seu ego ilusório e nasce para o seu EU verdadeiro.

O iniciado dá o início, o primeiro passo, para dentro do "Reino dos Céus".

Começa a vida eterna em plena vida terrestre.

Não espera um céu para depois da morte, vive no céu da verdade, aqui e agora - e para sempre.

Isto é auto-iniciação.

sto é autoconhecimento.

Isto é auto-realização.

O início de tudo, de tudo isto, é a meditação ou cosmo-meditação, de que já falamos em outra ocasião.

Repito que é impossível a verdadeira meditação sem que o homem se esvazie de todo o conteúdo do seu ego ilusório; quem se esvaziar da sua ego-consciência será plenificado pela cosmo-consciê ncia, que é a iniciação.

Mas é impossível realizar este ego-esvaziamento na hora da meditação, mesmo que seja meia hora de introversão, se o homem viver vinte e quatro horas extrovertido, escravizado pelas coisas do seu ego ilusório.

A meia hora de meditação nada resolve, não abre as portas para a iniciação - se o homem não se libertar, durante o dia, da escravidão do seu ego.

Como fazer isto?

Libertação da escravidão do ego é usar as coisas materiais na medida do necessário e não do supérfluo; o homem deve e pode ter um conforto necessário, sem desejar confortismos excessivos.

A mística da hora da meditação é impossível sem a ética da vida diária, sem o desapego do supérfluo.

Luxo e luxúria é lixo, que atravancam o caminho para a iniciação.

Quem não remove esse lixo do luxo e da luxúria pode fazer quantas meditações quiser que não se poderá iniciar; porque as leis cósmicas não podem ser burladas.

A verdadeira felicidade do homem começa com a sua auto-iniciação.

Fora disto, pode ele ter um mundo de gozos e prazeres, mas não terá felicidade verdadeira, paz de espírito, tranqüilidade de consciência.

Todos os gozos e prazeres são do ego ilusório, somente a felicidade é do EU verdadeiro. Um auto-iniciado é também um redentor para os outros.

Quando um único homem escreveu Mahatma Gandhi, chega à plenitude do amor (auto-realizaçã o), neutraliza ele o ódio d e muitos milhões.

Nada pode o mundo esperar de um homem que espera algo do mundo - tudo pode o mundo esperar de um homem que nada espera do mundo.

Não há evolução sem resistência.

Tudo o que é fácil não é garantido; toda evolução ascensional é difícil, exige luta, sofrimento, resistência.

Estagnar é fácil.

Descer é facílimo.

Subir é difícil.

Toda evolução é uma subida, e sem subida não há iniciação.



TEXTO DE HUBERTO ROHDEN, ESCRITO NOS ANOS 70.


Fonte: Comunidade Mestres Ascensionados

15 de mai de 2010

13 DE MAIO - DIA DOS PRETOS VELHOS



Pretos Velhos são espíritos que se apresentam em corpo fluídico de velhos africanos que viveram nas senzalas, majoritariamente como escravos que morreram no tronco ou de velhice, e que adoram contar as histórias do tempo do cativeiro. Sábios, ternos e pacientes, dão o amor, a fé e a esperança aos "seus filhos".

São entidades desencarnadas que tiveram pela sua idade avançada, o poder e o segredo de viver longamente através da sua sabedoria, apesar da rudeza do cativeiro demonstram fé para suportar as amarguras da vida, consequentemente são espíritos guias de elevada sabedoria geralmente ligados à Confraria da Estrela Azulada dentro da Doutrina Umbandista do Tríplice Caminho (AUMBANDHAM - alegria e pureza + fortaleza e atividade + sabedoria e humildade.

São os Mestres da sabedoria e da humildade. Através de suas várias experiências, em inúmeras vidas, entenderam que somente o Amor constrói e une a todos, que a matéria nos permite existir e vivenciar fatos e sensações, mas que a mesma não existe por si só, nós é que a criamos para estas experiências, e que a realidade é o espírito. Com humildade, apesar de imensa sabedoria, nos auxiliam nesta busca, com conselhos e vibrações de amor incondicional. Também são Mestres dos elementos da natureza, a qual utilizam em seus benzimentos.

A grande maioria dos terreiros de Umbanda, assim também suas entidades possuem a fé Cristã, ou seja, acreditam e cultuam Jesus (Oxalá). Entidades aqui tomada no sentido de espíritos que auxiliam aos encarnados, o mesmo que guia de luz.

A característica desta linha seria o conselho, a orientação aos consulentes devido a elevação espiritual de tais entidades, são como psicólogos, receitam auxílios, remédios e tratamentos caseiros para os males do corpo e da alma.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Preto-velho



2012 POR 2 ASTRÔNOMOS ESPIRITUALISTAS

Muito se fala de 2012, mas pouco efectivamente se conhece.

Segue um texto rápido e esclarecedor, para desmistificar um pouco a profecia e trazer uma linguagem simples, oferecendo ânimo extra para as nossas acções como sincronizadores biosféricos.

O Sistema Solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades.

Esta foi a conclusão dos astrónomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos.

O nosso Sol é, portanto, a oitava estrela da constelação - localizada a
aproximadamente 28 graus de Touro - e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione, movimento terrestre também conhecido como Precessão dos Equinócios.

A divisão desta órbita por doze resulta em 2.160, tempo de duração de cada era "astrológica" (Era de Peixes, de Aquário, etc). Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de Cinturão de Fotões.

14 de mai de 2010

PASTOR DIDINI FALANDO DO UNILUZ NO SITE MINISTÉRIO CAMINHAR


Pastor Ronaldo Didini participa e prega o Evangelho em diálogo Interreligioso com católicos, espíritas, teosofistas, budistas e outros representantes de vários segmentos religiosos.
(Por Dinamérico Aguiar)
Aconteceu em 29 de março último, no bairro de Santana, Zona Norte da capital paulista, o 1º Fórum Mundial Universalista Perspectivas para o Terceiro Milênio, promovido pela Uni-Luz. O diálogo interreligioso foi marcado pela participação de vários líderes religiosos de diversas religiões, tais como: Católica, Ortodoxa, Espírita, Teosofia, Budista, representantes de cultos Afros e vários outros segmentos religiosos.

Entrevistei o Pr Ronaldo Didini antes do evento. Abaixo um trecho dela:

Dinamérico Aguiar: Pastor, o senhor é a favor do Ecumenismo?
Pr Ronaldo Didini: Não. O Ecumenismo é utópico, pois representa uma proposta de união de todas as Igrejas cristãs em uma só. Sob o ponto de vista bíblico tal aplicação é impossível, pois todas as Igrejas Evangélicas – das Históricas às Neo pentecostais - são oriundas da Reforma Protestante de 1517, a qual rompeu doutrinariamente com o catolicismo romano.

Dinamérico Aguiar: Mas, as chamadas Igrejas Evangélicas têm várias vertentes e segmentos diferentes. Como separar somente o Catolicismo Romano?
Pr Ronaldo Didini: Excetuando-se algumas ditas Igrejas Evangélicas que desviaram-se como o Catolicismo Romano no Séc XVII, as diferenças são apenas doutrinárias sob o ponto de vista denominacional, ou seja, na parte do Evangelho em que se dá mais ênfase. Por exemplo: Na Igreja Batista dá-se mais ênfase no estudo da Palavra de Deus, enquanto na Assembléia de Deus há maior ênfase na manifestação dos diversos dons sobrenaturais da Pessoa do Espírito Santo.

Dinamérico Aguiar: Então, que Igrejas ditas evangélicas o senhor excluiria?
Pr Ronaldo Didini: Note bem. Eu não tenho autoridade para citar o nome de qualquer Igreja, contudo tendo como base a Bíblia Sagrada, não tenho dúvidas que estão excluídas do contexto evangélico as ditas Igrejas (principalmente Neopentecostais) que defendem a Teologia da Prosperidade e apenas se propõem a resolver o problema das pessoas, sem ensiná-las a importância do Novo Nascimento. Também existem aquelas que são termômetros ao invés de serem termostatos, ou seja, ditas Igrejas que se adaptam ao mundo (modelo secular) para atraírem mais frequentadores em seus cultos. Chamo tais aberrações de “fast foods da fé”!

Dinamérico Aguiar: Então, pelo que entendi, diálogo interreligioso não tem nada a ver com Ecumenismo?
Pr Ronaldo Didini: Exatamente. O diálogo interreligioso é bíblico e muito interessante para os dias atuais. As pessoas têm acesso a todo tipo de informações e isto forma uma pluralidade de opiniões cada vez mais complexa e, na maioria dos casos, sem profundidade espiritual, pois são opiniões baseadas na sabedoria humana. Então, em um evento como este, onde ninguém quer forçar, defender ou impor uma determinada religião, a busca do diálogo - através da experiência espiritual de cada um - é uma oportunidade única de pregar o Evangelho entre desiguais e revelar o Deus da Bíblia, que não faz acepção de pessoas, pois quem convence é a Pessoa do Espírito Santo.

Foi em um ambiente relativamente igual a este que Jesus Cristo pregou para a mulher Samaritana ou que Paulo, o apóstolo dos gentios, pregou aos filósofos epicureus e estoicos, em Atenas, na Grécia.

Dinamérico Aguiar: Qual a receptividade que o senhor espera em um ambiente tão complexo?
Pr Ronaldo Didini: A melhor de todas. Como afirmei acima, vim aqui para pregar o Evangelho, respeitar as pessoas e não impor nada a ninguém. Eu conheço o Deus que sirvo e confio na Obra da Pessoa do Espírito Santo.

Terminada a entrevista, aguardei a participação, no evento, do Pr Ronaldo Didini. Minha expectativa não foi em vão.

Ao iniciar sua pregação, sempre com a Bíblia aberta e explicando pausadamente, ele repetiu o que me disse na entrevista sobre a mulher Samaritana (Jo cap 4) e disse que era muito importante “estimular o diálogo entre desiguais que podem conhecer um Deus igual, referindo-se a Jesus como a fonte de Água Viva, que nunca deixa de jorrar e sacia toda a sede da alma”.

Em seguida, com bastante precisão, ele pregou sobre o Apóstolo Paulo junto ao areópago em Atenas, mencionando o Deus desconhecido entre os atenienses (At cap 17) e referindo-se sempre a Jesus Cristo.

O público bastante atento, absorvia as suas palavras. Eram cerca de 300 pessoas de diversas denominações religiosas, entre os quais, líderes da Umbanda, Espiritismo Kardecista, Catolicismo Romano, Ortodoxa e Sacerdotes de Religiões Orientais.

Antes de encerrar, o Pr. Ronaldo Didini pediu que todos o acompanhassem em uma oração, no que foi inteiramente correspondido. Ao final, após dizer amém, o auditório o saudou com uma expressiva salva de palmas, que ele agradeceu, mas que transferiu àquele que seria verdadeiro homenageado, Jesus, o Senhor!

Ato contínuo foi abraçado pelo coordenador do evento, Sidney Carvalho- representante do Espiritismo Kardecista – que agradeceu, em nome de todos, a sua participação.
À sua saída, o Pr. Ronaldo Didini entregou três cestas básicas, que doou, para que fossem destinadas às crianças do Centro Espírita André Luiz.

O Fórum Mundial Universalista, realmente, foi uma oportunidade única, para se pregar um Deus igual aos que, por alguma razão, podem se sentir desiguais, o que nos permitiu, a mim e ao Pastor Ronaldo Didini, voltarmos para casa com a certeza do dever cumprido.


Fonte: http://www.ministeriocaminhar.com.br/?subsecao=14&ver=108


Dinamérico Aguiar é jornalista.
Contato: dinamerico@uol.com.br

12 de mai de 2010

MEDIUNIDADE NA BÍBLIA

Mais um excelente programa Abrindo a Bíblia, da TV Mundo Maior, exibido pela RedeTV aos domingos a tarde.

Severino relata as diversas passagens bíblicas, do gênese ao apocalipse, que contem efeitos mediúnicos de diversos tipos.

Para os irmãos das Igrejas Católicas e Protestantes, a mediunidade seria exatamente a mesma coisa que os dons divinos, a vocês ensinados (dom da visão, dom do sonho, dom da cura, etc), que os profetas possuem e que muitas pessoas, ainda hoje em dia, detem.



Que Deus os envolva em muita paz de espírito e amor!

10 de mai de 2010

IGREJA PRESBITERIANA UNIDA - "EU SOU O PÃO DA VIDA"


Linda melodia cristã intitulada "Eu sou o Pão da Vida" do Coral da Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo, situado na Rua Helvétia, nº 772 - Campos Eliséos - São Paulo/SP

Que Jesus Cristo os abençoem!


APRESENTAÇÃO MUSICAL DOS HARE-KRISHNAS NO UNILUZ



Apresentação dos membros do hinduísmo monoteísta gaudiya vaishnava

Hare Krishna!



VÍDEO DA ORDENAÇÃO SACERDOTAL DO PADRE NEY CLAUDIO


Ordenação Sacerdotal do Pe. Ney Claúdio - svc - 20 de dezembro de 2009 - 9:00 hs - na Igreja Vetero Católica do Brasil - Curitiba PR.

Desejamos muitas bençãos de Jesus Cristo ao nosso querido amigo universalista Pe. Ney!



9 de mai de 2010

MARIA - MÃE DE TODAS AS MÃES


"...todas as gerações me considerarão bem-aventurada."
(Lucas 1:48)


Dedicamos esta melodia a todas as mães!
Feliz Dia das Mães!




7 de mai de 2010

DESMISTIFICANDO: 2012

Uma mensagem séria e muito sensata para abrir as mentes, neste polemico assunto.

2012 não será o fim do mundo, será o fim de uma Era e o início de outra. Preparen-se. Muito se fala de 2012, mas pouco efetivamente se conhece. Para desmistificar um pouco a profecia e trazer uma linguagem simples, ofertando ânimo extra para nossas ações como sincronizadoras biosféricos:

Os corpos que não refinarem suas energias não conseguirão ficar encarnados dentro da terceira dimensão, pois a quarta dimensão estará instalada. O sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades. Nosso Sol é, portanto, a oitava estrela da constelação - localizada a aproximadamente 28 graus de Touro -, e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione, movimento terrestre também conhecido como Precessão dos Equinócios.

A divisão desta órbita por doze resulta em 2.160, tempo de duração de cada era "astrológica" (Era de Peixes, de Aquário, etc.). Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de Cinturão de Fótons. Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se desconhece na Terra.

Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do Cinturão de Fótons marca o início de uma expansão de consciência além da terceira dimensão. A ida do homem à Lua nos anos 60 simbolizou esta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o Cinturão. A cada dez mil anos o Sistema Solar penetra por dois mil anos no anel de Fótons, ficando mais próximo de Alcione. A última vez que a Terra passou por ele foi durante a "Era de Leão", há cerca de doze mil anos.

Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros dois mil anos dentro deste disco de radiação. Todas as moléculas e átomos de nosso planeta passam por uma transformação sob a influência dos Fótons, precisando se readaptar a novos parâmetros. A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente, uma luz sem temperatura, que não produz sombra ou escuridão. Talvez por isso os hinduístas chamem de "Era da Luz" os tempos que estão por vir.

6 de mai de 2010

CASAMENTO UNIVERSALISTA

Em meio a uma série de denúncias de intolerância religiosa, a Praia de Copacabana servirá de altar para um casamento entre uma umbandista e um evangélico num culto ecumênico unindo características das duas religiões. O evento vai acontecer no dia 29 de dezembro, que foi oficializado pela prefeitura como a data da comemoração antecipada de Yemanjá. É que embora a oficial seja 2 de Fevereiro, no Rio tradicionalmente era reverenciada na noite de 31 de dezembro, prática que foi diminuindo com o crescimento da festa de Réveillon na orla carioca com queima de fogos de artifício e shows de vários artistas com grande concentração de cariocas e turistas.

Diante de 20 mil pessoas, a cantora Ângela Thomaz, de 40 anos, celebrou sua união em uma cerimônia afro com o sargento Antonio Silva Junior, de 47 anos. Criado na religião evangélica, o noivo realizou o sonho da mulher.

— Estamos juntos há 13 anos e nos casamos há dez no civil e no religioso, na Igreja Católica e na Evangélica. Agora, renovamos votos. Foi o meu presente — contou Ângela, que é umbandista.

Para Antonio, o importante é a fé.
— Somos todos filhos de Deus. Não tem por que haver intolerância religiosa. É para Deus que cada um vai prestar contas — pregava o noivo.

"Será o primeiro realizado na praia com uma união inter-religiosa. O casamento vai ser antecipado com uma carreata que parte do Mercadão de Madureira no meio da tarde percorrendo vários bairros até Copacabana. Esse é o sétimo ano que a festa de Yemanjá é realizada no dia 29" - revela Sheila Reis - integrante do departamento de Marketing do Mercadão de Madureira - que está comemorando 50 anos de fundação.



Fonte:
http://www.sidneyrezende.com/noticia/67962+em+tempo+de+intolerancia+evangelico+e+umbandista+se+casam+na+areia+da+praia+de+copacabana+na+comemoracao+de+yemanja


http://extra.globo.com/blogs/feonline/posts/2009/12/29/casamento-afro-em-copacabana-une-umbandista-evangelico-253569.asp

4 de mai de 2010

ENTREVISTA COM ROBSON PINHEIRO

O escritor Robson Pinheiro concede entrevista esclarecedora e responde aos seus críticos com determinação: "Como nosso compromisso é com o espiritismo — e não com os espíritas ou com a leitura que muitos fazem do espiritismo —, considero-me fiel ao mandato a mim confiado."

(Entrevista a Manoel Fernandes Neto)


Por que alguns irmãos do movimento espírita classificam seu trabalho de umbandista e não doutrinário? Você pode comentar esta questão?
Primeiramente, é preciso esclarecer que umbandista não se opõe a doutrinário, se entendermos doutrinário como atinente ao espiritismo. Afinal, um trabalho pode ser coerente com a doutrina de umbanda, e não com a doutrina espírita.

No meu caso, entretanto, não conheço acerca de doutrina de umbanda, nem tampouco qualquer linha de meus livros versam sobre esse tema. Ou seja, nem eu conheço o assunto nem os espíritos que escrevem através de mim abordam doutrina umbandista. Afinal, sou espírita, minha formação é espírita e o compromisso meu e dos espíritos que me dirigem é com o espiritismo. E aí a questão proposta esbarra em algo maior, para o qual devo me alongar a fim de procurar ser mais claro.

Ocorre que, para a certa surpresa de Allan Kardec, muitos de seus adeptos acabaram por delimitar assuntos para o debate ou o olhar espírita, baseando-se em uma perspectiva estreita e, com isso, separando temas e abordagens em compartimentos estanques — doutrinário ou antidoutrinário —, à medida que se desenvolvia o movimento espírita. Imagine, um homem que foi porta-voz de uma revelação que, segundo ele, pretendia contribuir para o esclarecimento de qualquer religião, sem constituir necessariamente uma religião à parte![1] Como esse homem poderia ser um purista, alguém que não desejasse versar sobre quaisquer temas por meio da ótica espírita, das lentes e ferramentas que o espiritismo oferece?

Essa é a leitura que faço da atitude kardequiana, que perpassa todos os seus escritos. Repare a obra de sua autoria chamada Catálogo racional para se fundar uma biblioteca espírita, que a Madras Espírita traduziu pela primeira vez, na época do saudoso Eduardo Carvalho, e a feb hoje publica na coletânea de opúsculos denominada O espiritismo em sua mais simples expressão. Naquele Catálogo, Kardec inclui uma categoria inteiramente dedicada aos livros “produzidos fora do espiritismo”, bem como outra destinada às obras contrárias à doutrina nascente. Em minha opinião, isso denota o interesse por todos os temas, a certeza de que o debate espírita não precisaria se restringir a este ou aquele tema, mas ampliar-se o máximo possível.

O que quero dizer com tudo isso é que livros meus como Tambores de Angola ou Aruanda efetivamente falam de temas ligados às doutrinas religiosas de caráter mediúnico e com forte expressão da cultura do negro e do indígena (umbanda, candomblé etc.), mas jamais enfocam seu aspecto doutrinário. Não é seu objetivo nem minha pretensão. Procuram tão-somente demonstrar como o trabalho ocorre nesses meios tanto para promover um exercício de fraternidade — mostrando que não é só o jeito espírita a única forma de fazer — quanto para destacar que, por razões históricas e culturais que transcendem aspectos doutrinários, figuras como o preto-velho, o caboclo e o exu fazem parte da realidade brasileira, quer o espírita goste ou não.

Afinal, por que razão não haveriam de povoar o panorama espiritual do Brasil os espíritos que aqui viveram e morreram? E, estando aqui, só podem contribuir nesta ou naquela religião? Ora, se o espírito é minimamente esclarecido, não é sectarista; usa as ferramentas de cada culto conforme a tradição de seus adeptos. Sendo assim, um preto-velho pode usar cachimbo numa casa de umbanda, onde isso é habitual, e certamente não o fará numa casa espírita, pois que nesta soaria como afronta.

Se fosse verdadeira a classificação dos espíritos de acordo com sua feição espiritual — “preto-velho é espírito da umbanda”, por exemplo —, formulo a seguinte indagação. Como podemos trabalhar com padres e freiras no espiritismo? Acaso alguém lhes pediu para abandonarem seus títulos e vestes sacerdotais para que pudessem ser aceitos? Acaso alguém viu em sua presença e atuação uma ameaça de catolicização do espiritismo? Então, por que adotar uma conduta com aqueles que representam o povo historicamente oprimido e discriminado e portar-se de outro modo com aqueles que têm seu passado associado à instituição que mais atrocidades cometeu contra a humanidade, em inumeráveis perseguições em nome de Deus?
Related Posts with Thumbnails