25 de mar de 2012

SEJA MEU AMIGO PELA PAZ (Be my friend for peace)




24 de mar de 2012

SIDNEI CARVALHO FALA SOBRE A DOUTRINA ESPÍRITA


Sidnei Carvalho, trabalhador incansável da Doutrina Espírita, presidente do Centro Espírita Francisco de Assis na Vila Cisper (Zona Leste de SP). Participa de projetos em prol de ajudar e recuperar dependentes químicos e alcoólatras, além de dar apoio aos co-dependentes(familiares). Radialista da Rádio Boa Nova de Rádio (AM 1450 SP), tem programa na TV Aberta e na TV Mundo Maior que fala sobre Ramatís e sua proposta Universalista. Coordenador do UNILUX (em prol do respeito e entendimento entre as religiões, através do AMOR).



Foi a primeira pessoa que incentivou e divulgou o Blog dos Universalistas, através do Programa Chama Crística da Rádio Boa Nova. Juntamente com o apoio do querido amigo Dr. Adão Nonato de Oliveira.



Por estes e outros agradecimentos a ele, gostaríamos de trazer estes esclarecimentos respondidos pelo próprio Sidnei Carvalho, em forma de perguntas e respostas de questões básicas e profundas sobre o que é o Espiritismo.



Grande abraço Sidnei.


BLOG DOS UNIVERSALISTAS



1) Por que Allan Kardec é chamado de Codificador da Doutrina Espírita?

R: Porque foi ele que, após entrar em contato com os ensinamentos do Espíritos, transmitidos por médiuns de sua confiança, preparou os primeiros livros espíritas, formando a base da doutrina ao editar O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese, os Milagres e as Predições, que são as obras básicas da Doutrina Espírita.




2) Qual a diferença entre Espiritismo e Espiritualismo?
R: Espiritualismo é um termo utilizado de forma genérica para designar a crença em algo mais que a matéria. Espiritismo é o termo que designa os adeptos dos ensinamentos dos espíritos codificados por Allan Kardec, ou seja, todo espírita é espiritualista mas nem todo espiritualista é espírita. Os termos espírita e espiritismo foram cunhados por Allan Kardec em 1.857.




3) O Espiritismo é uma Doutrina Cristã? Por quê?
R: Sim, o Espiritismo pode ser considerado uma doutrina cristã, uma vez que Allan Kardec lastreou a moral espírita na moral do Cristo, e a Doutrina Espírita se propõe a esclarecer pontos que Jesus não desenvolveu devido ao nível científico quase nulo à sua época. Pode-se dizer que o Espiritismo é a Revivescência do Cristianismo.




4) O Espiritismo é criacionista ou evolucionista?
R: Totalmente evolucionista, uma vez que ensina que todos os espíritos são criados simples e ignorantes e por meio da reencarnação, ou seja, das vidas sucessivas, vai evoluindo até tornar-se um espírito puro como Jesus, Buda, Krisna, Moisés, etc.




5)O que é a Reencarnação? Podemos reencarnar em animais?
R: Reencarnação é a Lei que permite ao espírito tomar um novo corpo físico, após a morte física e voltar ao mundo da matéria para aprender, crescer, reparar erros e enganos e se aproximar cada vez mais da felicidade. É impossível ao homem reeencarnar em animais, uma vez que o espírito não retroage em suas conquistas.




6) Para aonde vamos após a morte?
R: Após a morte vamos para a condição que elegemos durante a vida. Se fomos pessoas boas, equilibradas, sem vícios, iremos para lugares bons na dimensão espiritual, se, ao contrário levarmos uma vida egoista, cheia de vícios e de maldades, iremos para locais de sofrimento na dimensão espiritual, porém, o espiritismo explica que os sofrimentos não são eternos, mas, tão logo o espirito, na dimensão espiritual se arrepender de suas faltas e se dispuser a repará-las, receberá a oportunidade de uma nova reeencarnação pois Deus é bom e misericordioso.




7) Como devemos compreender a frase de Allan Kardec: “Fora da Caridade não há salvação” ?
R: Jesus, em uma de suas parábolas, coloca a prática da caridade como paradigma para o espírito encontrar a felicidade e Allan Kardec cunhou o lema "Fora da Caridade não há Salvação" com base nos ensinamentos de Jesus que colocam o Amor em ação como rota certeira para alcançarmos a felicidade.




8)Haverá um sucessor para o Chico Xavier?
R: Não existe sucessor no espiritismo, cada um executa a sua tarefa, com suas características pessoais e particulares e Deus utiliza todos os homens de boa vontade no trabalho do bem como Bandeirantes da Luz auxiliando seus irmãos. Chico Xavier cumpriu a sua missão com maestria e deixou um rastro de luz para seguirmos sendo que outros virão trabalhar na vinha do Senhor, sem que necessariamente sejam sucessores de Chico.




9) O que é o Evangelho no Lar?



R: É o estudo do Evangelho de Jesus dentro de nossa casa, em conjunto com os nossos familiares. Escolhe-se um dia e hora fixos, para que os bons espíritos nos acompanhem, iniciamos com uma prece singela, pedindo a proteção para o estudo, depois lemos um trecho do Evangelho Segundo o Espiritismo ou outro livro que fale de amor, comentamos à luz dos ensinamentos espíritas, fazemos uma vibração (envio de energias aos que sofrem) a prece final e encerramos. Se quisermos podemos deixar um copo com àgua durante o estudo e os bons espíritos derramarão energias do bem na água para bebermos depois.




Muita Paz!




Muita Luz!




Sidnei Carvalho

23 de mar de 2012

A FINALIDADE DAS OFERENDAS NA UMBANDA

Mensagem de Baiano José Severino, canalizada por Gero Maita

Pergunta: Qual a finalidade das oferendas dentro do ritual Umbandista?
Resposta: “Sei que minha resposta vai desapontar a muitos irmãos e irmãs que direcionam sua mediunidade dentro da lei de Umbanda, mas em pleno século XXI fica inaceitável ainda acreditarmos que velas, frutas, panos e flores possam fazer o resultado acontecer por si só, sem a necessidade de uma reforma intima e uma fé balizada na proposta de Jesus em nossas vidas.

As oferendas em sua origem Africana diferem e muito do objetivo que hoje são direcionadas, lá temos o negro que devido a época em que se encontrava oferecia aos Orixás o que tinha de melhor dentro de sua casa. Tomemos como exemplo quando vamos receber visitas em nossa casa, sempre gostamos de oferecer o que temos de melhor e nesta localidade o negro oferecia o que não lhe faltava a mesa, ai vemos o fundamento da "comida" dentro do ritual Umbanda, originando a festa comemorativa do OLUBAJÉ.

Nos dias atuais com uma gama de informações que nos chegam através dos meios de comunicação como: Sites, mídia televisiva, livros de diversos autores etc. Ainda encontramos irmãos e irmãs sujando cachoeiras, praias, campos, matas etc. Levando a estes locais "comida" para conseguir sucesso financeiro, amor, saúde, paz e harmonia, dons que compete a cada um busca-los através do empenho e da atitude de progresso e isso não compete a este ou aquele Orixá cuja finalidade na natureza como essência divina é bem diferente do que infelizmente ainda presenciamos nas "casas de santo", "terreiros" e "santuários".

Santo não come meus filhos, por que não existe matéria carnal para isso! A ativação do elemento vegetal pode ser feita mentalmente através de uma prece com fé e devoção. Tomemos como exemplo se um de meus irmãos ou irmãs desejam fazer uma oferenda a Oxum em uma cachoeira, podem se dirigir a mesma.

Hoje cometem-se excessos em nome da Umbanda e os mesmos mais servem de "muleta vibratória" do que "fundamento doutrinário".

Não adianta nos dirigirmos a um ponto onde se concentra esta ou aquela força de Orixá, para sujarmos e poluirmos este santuário natural. O ato de oferendar a inicio impressiona pelas cores, formas e essências que compõem uma oferenda, mas vale lembrar que isso vai apodrecer com o tempo, gerando náuseas, asco e infelizmente críticas classificando a Umbanda como "manifestação de baixo espiritismo!"

Não temos intenção de ofender aqueles que acreditam que o sabonete e o Manjar para Yemanjá vai lhes trazer algo, isso é uma questão doutrinária em que muitos ainda necessitam desta "muleta" para desenvolverem sua fé e fortalecerem sua crença.

“Se, portanto, quando fordes depor vossa oferenda no altar, vos lembrardes de que o vosso irmão tem qualquer coisa contra vós, - deixai a vossa dádiva junto ao altar e ide, antes, reconciliar-vos com o vosso irmão; depois, então, voltai a oferecê-la” - (Mateus cap.V, v. 23 e 24.). Quando diz: Ide reconciliar-vos com o vosso irmão, antes de depordes a vossa oferenda no altar, Jesus ensina que o sacrifício mais agradável ao Senhor é o que o homem faça do seu próprio ressentimento; que, antes de se apresentar para ser por ele perdoado, precisa o homem haver perdoado e reparado o agravo que tenha feito a algum de seus irmãos. Só então a sua oferenda será bem aceita, porque virá de um coração limpo de todo e qualquer pensamento mau. Ele materializou o preceito, porque os judeus ofereciam sacrifícios materiais; cumpria--lhe conformar suas palavras aos usos ainda em voga.

O cristão não oferece dons materiais, pois que espiritualizou o sacrifício. Com isso, porém, o preceito ainda mais força ganha. Ele oferece sua alma a Deus e essa alma tem de ser purificada. Entrando no templo do Senhor, deve ele deixar fora todo sentimento de ódio e de animosidade, todo mau pensamento contra seu irmão. Só então os anjos levarão sua prece aos pés do Eterno. Eis aí o que ensina Jesus por estas palavras: "Deixai a vossa oferenda junto do altar e ide primeiro reconciliar-vos com o vosso irmão, se quiserdes ser agradável ao Senhor”.

A Umbanda meus irmãos e irmãs passa por um momento de espiritualização e religião sem espiritualização é só um amontoado de dogmas! “
- Baiano José Severino

Fonte: O Cruzeiro
Jornal gratuito distribuído eletronicamente - edição 03 - março de 2012

A POSTURA DO MÉDIUM EM 7 PASSOS

Mensagem de Pai Antônio das Almas, canalizada por Gero Maita
“Louve a Deus acima de qualquer coisa, envolvesse na força divina que esta dentro de você se deseja dividi-la com o seu semelhante e para isso não tem alarde, fantasia ou culto exterior, trata-se de um encontro com o que chamamos do eu interior.

Evite julgamentos precipitados, lembre-se que olhamos "o cisco no olho" de nosso irmão e nos esquecemos da "trave" que trazemos dentro do nosso, estamos em um mundo de regeneração meus filhos, falhas são normais na caminhada evolutiva de cada um e a paciência e o amor universal fazem seu papel nesta caminhada em se falando de irmandade com Deus.

Louve seu Orixá, primeiramente compreendendo que para fazer isso você não precisa sujar a natureza que é o sitio sagrado do mesmo, respeitando assim outros irmãos que não dividem com você a mesma fé.

Respeite as opções, sexuais e religiosas de seu próximo! Deus esta dentro de cada criatura que colocou na terra e ninguém é obrigado a pensar ou agir como você.

A Umbanda respeita todos sem distinção, portanto se ainda existe o preconceito dentro de você meu filho, algo de muito errado esta acontecendo em sua vida. Jesus curou, leprosos, prostitutas e nunca fez distinção, pois segundo as escritura fomos criados a imagem e semelhança de Deus.

Acenda sua vela, tome seu banho de ervas, faça sua oferenda ( respeitando o bom senso), cultive o hábito sadio do Evangelho no lar, mas nada disso vai adiantar se você não adotar uma nova postura dentro de si, as mudanças ocorrem de dentro para fora.

Qualquer religião que fique pautada em um amontoado de dogmas não é eficiente, por isso estude e inove e sua comunidade religiosa a forma com que você vem praticando a mesma. O médium que não se recicla é comparado ao catitu que ao fugir da manada se torna presa fácil aos predadores naturais.

Seja o exemplo daquilo que você prega! O pior engano é nos depararmos com lições mirabolantes na espiritualidade e médiuns invigilantes. Não dê passos maiores do que suas pernas podem aguentar.

Em qualquer fase de nossa trajetória na mediunidade, paute a mesma com os ensinamentos de Jesus e lembre-se que o Mestre escolheu homens simples do povo para cumprirem seus compromissos.

Que sua mediunidade meu filho seja como a luz do Sol, se recolhendo a noite para respeitar aqueles que ainda não podem com sua claridade, mas silenciosamente todas as manhãs anunciando uma nova etapa da vida!”
- Pai Antonio das Almas

Fonte: O Cruzeiro
Jornal gratuito distribuído eletronicamente - edição 03 - março de 2012

17 de mar de 2012

ALÉM DE "O SEGREDO"

Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5


10 de mar de 2012

O EVANGELHO DE JUDAS | O TRAIDOR OU O CONTRIBUIDOR?

Por: 
Ivan Padilla e Marcelo Musa Cavalleri 


O que levou o último dos apóstolos a trair Jesus? A resposta pode estar em manuscritos inéditos, que trazem a versão do traidor.

No quadro A Prisão de Cristo, de 1602, Michelangelo Caravaggio reproduz a cena bíblica em que Judas beija Jesus e o entrega aos romanos. 
Para ele, nunca houve perdão. Há quase 2 mil anos, ele vem sendo impiedosamente castigado. Em dezenas de países, a cada sábado de aleluia, Judas Iscariotes, encarnado num boneco grotesco, é vítima de espancamento em praça pública. Além de ter entregado aos carrascos seu mestre, Jesus, ele paga pelo que de pior tiver sido feito naquele ano. Assume as feições do político corrupto, do tirano estrangeiro, do delator, do jogador que fez o time perder. Judas virou até substantivo. Significa "traidor" em dicionários de português, espanhol, francês, inglês, alemão e italiano. Nem mesmo do todo-misericordioso ele ouviu uma palavra de misericórdia. "Ai daquele por quem o Filho do Homem será entregue", disse o próprio Jesus segundo o Evangelho de São Marcos.

Pela altura da Páscoa deste ano, no entanto, finalmente será conhecida a versão do criminoso. Pela primeira vez será publicado o texto de um manuscrito inédito, cuja autoria é atribuída ao próprio Judas. Identificado como o Evangelho de Judas, o texto integra a série de evangelhos apócrifos, cuja autenticidade não é reconhecida pela Igreja. Sua existência já era cogitada desde que Santo Irineu de Lyon, no século II, citou-o e condenou-o. Trata-se, portanto, de uma revelação arqueológica de valor ä incalculável. Depois de 1.600 anos, finalmente será lido um texto antes inacessível, capaz de lançar luzes sobre os primórdios do cristianismo, com uma visão completamente original da traição que teria levado Jesus à cruz.

De acordo com relatos de especialistas que tiveram acesso ao manuscrito, Judas afirma, em sua versão da história, que não traiu Jesus. A delação aos sacerdotes judeus teria sido, segundo o manuscrito, um desígnio divino para que o Filho de Deus sofresse o martírio e salvasse os homens. Judas também afirma, de acordo com os relatos, que não se enforcou depois, arrasado pela culpa. Teria sido perdoado por Jesus e orientado a se retirar para fazer exercícios espirituais no deserto. O que mais os manuscritos revelam não se sabe. Por enquanto, eles são mantidos em absoluto sigilo nas mãos da Fundação Maecenas, da Basiléia, na Suíça, enquanto são traduzidos do egípcio antigo (o copta) para o inglês, o francês e o alemão. Na verdade, os manuscritos nas mãos dos tradutores seriam uma versão em copta feita no século IV ou V do original grego do século II, possivelmente o texto mencionado por Santo Irineu.

A ÚLTIMA CEIA No célebre afresco de Leonardo Da Vinci, um saleiro aparece derrubado na mesa em frente a Judas. Trata-se de uma referência à superstição de que jogar sal é um sinal de má sorte. Abaixo, um ensaio para a obra

Como o Evangelho de Judas é muito posterior ao tempo em que os eventos teriam ocorrido, não se pode nem mesmo tentar buscar algo nele sobre a figura histórica de Judas. Hoje, o que se sabe sobre Judas está nos Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João e no Ato dos Apóstolos, um breve relato dos primeiros tempos da Igreja. É bem pouca coisa. Filho de Simão Iscariotes, Judas é sempre o último da lista dos 12 apóstolos citados pelos Evangelhos. A traição é situada no momento em que Jesus falava a seus discípulos no Getsêmani, ou Jardim das Oliveiras, fora dos muros de Jerusalém. No relato dos evangelistas, Judas chega acompanhado de uma multidão armada com paus e espadas. Ao se aproximar do mestre, beija-o na face. O gesto de amor é o sinal da traição. Os enviados dos sacerdotes judeus prendem Jesus e tem início o martírio. Em troca, o delator recebe 30 moedas de prata. Atormentado pela culpa, enforca-se em uma árvore. Com o dinheiro, os sacerdotes compram um terreno para instalar um cemitério.

Related Posts with Thumbnails