31 de jan de 2009

SEQUÊNCIA FIBONACCI, A ASSINATURA DE DEUS

Filme fala da marca do Supremo Designer em sua divina Criação. A sequência Fibonacci, que se faz presente tanto no micro como no macro cosmos, é a assinatura de Deus em sua obra.

Muito interessante, não percam!



Fonte: Canal Deusmihifortis no Youtube

30 de jan de 2009

PROGRAMA UNILUZ | DR. ADÃO NONATO ENTREVISTA HENRI SOBEL

O UniLuz é um programa inter-religioso muito interessante, onde o Dr. Adão Nonato entrevista diversos líderes religiosos que comentam sobre suas vidas e religiões e desmistificam tabus e outras curiosidades.

Neste programa, Henri Sobel fala da comunidade judaica em busca de um mundo melhor.

Dica: Clique no play, depois pause e espere carregar todo o programa para não travar.








Fonte: O Programa UniLuz é transmitido pela TV Mundo Maior.

27 de jan de 2009

ENSINAMENTOS BUDISTAS

Breve documentário sobre essa religião milenar que prega o desapego material, o amor entre todos os seres, a evolução espiritual através dos desafios em diversas vidas, entre tantos outros ensinamentos.






Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=PChWH9yEu_k&feature=related

O QUE É A SOCIEDADE TEOSÓFICA?

Para que se possa compreender satisfatoriamente a Sociedade Teosófica (S.T.) e o seu trabalho é necessário entender o significado da palavra Teosofia. Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que a S.T. não é uma religião, e a Teosofia não é um credo. Este fato já está evidenciado no primeiro objetivo da S.T..

A origem da palavra Theosophia é grega e significa primária e literalmente Sabedoria Divina. Foi cunhada em Alexandria, no Egito, no século III d.C. por Amônio Saccas e seu discípulo Plotino que eram filósofos neo-platônicos. Fundaram a Escola Teosófica Eclética e também eram chamados de Philaletheus (Amantes da Verdade) e Analogistas, porque não buscavam a Sabedoria apenas nos livros, mas através de analogias e correspondências da alma humana com o mundo externo e os fenômenos da Natureza. Assim, em conformidade com seu terceiro objetivo, a S.T., enquanto sucessora moderna daquela Escola antiga, almeja tal busca da Sabedoria não pela mera crença, mas pela investigação direta da Verdade manifesta na Natureza e no homem.
A adjetivação teosófica na denominação da S.T. significa, desta forma, uma sociedade cujos objetivos refletem esta Sabedoria, ou que nesta têm sua inspiração. Isto não que dizer que todos os membros da S.T. possuam esta Sabedoria ao tentar realizar tais objetivos. Quer dizer, apenas, que uma sociedade “teosófica” é uma sociedade cujos objetivos podem trazer benefícios imensos ao mundo, desde que compreendidos e realizados apropriadamente.

FUNDAÇÃO
A Sociedade Teosófica foi fundada em Nova Iorque, E.U.A., em 17 de Novembro de 1875, por um pequeno grupo de pessoas, dentre as quais se destacavam uma russa e um norte americano: a Sra. Helena Petrovna Blavatsky e o cel. Henry Steel Olcott, seu primeiro presidente.
Em 1878 o cel. Olcott e a Sra. Blavatsky partiram para a Índia. Em 3 de abril de 1905, foi estabelecida legalmente a sede internacional da S.T. no bairro de Adyar, na cidade de Chennai (antiga Madras), estado de Tamil Nadu, no sul da Índia, onde permanece até hoje.

ORGANIZAÇÃO E ATIVIDADES
Com mais de um século de existência, a S.T. espalhou-se por cerca de sessenta países em todos os continentes. Internacionalmente, a S.T. está organizada basicamente em Seções Nacionais, e estas, por sua vez, compõem-se de Lojas e Grupos de Estudos.
A maioria das Lojas e Grupos de Estudos da S.T. realiza reuniões públicas com palestras, cursos, debates e outros eventos deste tipo, bem como atividades de confraternização entre os seus membros e simpatizantes, sempre em conformidade com seus três objetivos. Além disto, em geral, contam com bibliotecas para facilitar estudos e pesquisas.

NÃO HÁ RELIGIÃO SUPERIOR À VERDADE
Este é o lema da Sociedade Teosófica (S.T.), o qual foi traduzido do sânscrito – Satyan nasti para Dharmah. A palavra Dharma foi traduzida como religião, mas também significa, entre outras coisas, doutrina, lei, dever, direito, justiça, virtude. Portanto, em sentido amplo, o lema da S.T. afirma que não há dever ou doutrina superior à Verdade.

A FRATERNIDADE HUMANA: PRIMEIRO OBJETIVO
Desde os primeiros dias de sua fundação, ainda no século passado, a S.T. estruturou-se sobre o amplo princípio humanitário da Fraternidade Universal; "uma instituição que se fizesse conhecida em todo o mundo e cativasse a atenção das mentes mais elevadas".
Encontra-se nos escritos daqueles primeiros tempos a afirmação de que “é a Humanidade que é a grande órfã, a única deserdada sobre esta Terra – e é dever de todo homem capaz de um impulso altruísta fazer algo, por menor que seja, pelo seu bem-estar”. Por esta razão, o seu primeiro objetivo está formulado da seguinte maneira:

“Formar um núcleo da Fraternidade Universal da Humanidade, sem distinção de raça, credo, sexo, casta ou cor”.

A BUSCA DA VERDADE: SEGUNDO E TERCEIRO OBJETIVOS
Os demais objetivos da S.T. apontam na direção de uma “livre e corajosa investigação da Verdade” e estão formulados como segue:

“Encorajar o estudo de Religião Comparada, Filosofia e Ciência”;
“Investigar as leis não explicadas da Natureza e os poderes latentes no homem”.

LIBERDADE DE PENSAMENTO
Uma vez que a investigação da Verdade somente pode ser de fato empreendida numa atmosfera de liberdade, a S.T. assegura aos seus membros o direito à plena liberdade de pensamento e expressão, dentro dos limites da cortesia e de consideração para com os demais.
Como a Sociedade Teosófica espalhou-se amplamente pelo mundo civilizado, e como membros de todas as religiões tornaram-se filiados dela sem renunciar aos dogmas, ensinamentos e crenças especiais de suas respectivas fés, é considerado desejável enfatizar o fato de que não há nenhuma doutrina, nenhuma opinião, ensinada ou sustentada por quem quer que seja, que esteja de algum modo constrangendo qualquer de seus membros, nenhuma que qualquer deles não seja livre para aceitar ou rejeitar. A aprovação dos seus três objetivos é a única condição para a filiação.


INDEPENDÊNCIA DA SOCIEDADE TEOSÓFICA
Uma vez que a Fraternidade Universal e a Sabedoria são indefiníveis e ilimitadas e, desde que há completa liberdade de pensamento e ação para cada membro da Sociedade, esta busca sempre manter seu próprio distintivo e único caráter, permanecendo livre de filiação ou identificação com qualquer outra organização.

Fonte: Site Oficial da Sociedade Teosófica no Brasil | http://www.sociedadeteosofica.org.br/teosofia.asp?chamada=teosofia

26 de jan de 2009

FÍSICA QUÂNTICA E ESPIRITUALIDADE

Laércio B. Fonseca, físico e especializado em astrofísica, explica a existência de Deus, os diversos planos e dimensões espirituais, os fenômenos espirituais, e como funcionam os mecanismos mediúnicos, tudo através das mais modernas teorias científicas da atualidade. O professor Laércio demonstra quantitativamente todas essas questões e abre um campo, pela primeira vez, de se discutir espiritualidade dentro de parâmetros altamente técnicos e dentro de modelos científicos aceitáveis a toda ciência atual.

Dica: Aperte o play, pause o vídeo e espere carregar até a metade, para não travar e interromper a transmissão.




22 de jan de 2009

ENCONTRO UNI-LUZ: O AMOR ESTÁ VENCENDO O FANATISMO














Caros amigos(as),


Ontem, dia 21/01/2009, foi um dia mais do que especial. Pela primeira vez, eu e o meu primo Douglas, estivemos na prévia do Uni-Luz, já em sua 54ª reunião, realizada na Fábrica do Amanhã. Tivemos o imenso prazer de ver em ação os grandes idealizadores e defensores do universalismo. Nós e todos representantes de diversas correntes religiosas, dialogamos em um clima amistoso e respeitoso sobre um futuro evento que ajudará a dissipar quaisquer paradigmas religiosos que ainda teimam em sobreviver.

Para nós, que estamos apenas começando a caminhada, foi importantíssimo ver tantos líderes, de tantas correntes religiosas, se respeitarem e até mais: se amarem como grandes amigos. O pastor da Igreja Anglicana saudando os amigos dizendo "Namastê", o representante Hare Krishna foi buscar de carro o Xeique que se desencontrou nas ruas, o Pastor Pentecostal, presente, com a alegria de conhecer os líderes do Candomblé, os espíritas recebendo com carinho e saudando os Budistas com "arigato". O líder da Umbanda Sagrada apertando a mão da irmã do Seichô-no-ie. O Padre da Igreja Ortodoxa abraçando o líder da Teosofia. Para nós, blogueiros, é uma imensa motivação participar deste alegre grupo.

Dinheiro do ônibus: R$2,30
Dinheiro do metro: R$2,40
Ir a um encontro Uni-Luz: NÃO TEM PREÇO

Essas cenas ficarão na memória para sempre, provando que é possível o entendimento, o respeito e o amor. O Amor, que todos os grandes Mestres espirituais pregaram, já começou a vencer!

Que a paz seja nos lares de todos os irmãos que nos lêem.
Eduardo Levi Batista de Carvalho

19 de jan de 2009

DICA MUSICAL UNIVERSALISTA | O HOMEM (ROBERTO CARLOS)

15 de jan de 2009

DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO NO PROGRAMA HORA BRASIL

Pastor Ronaldo Didini comanda, respeitosamente, o programa Hora Brasil, no Canal 21, que levou líderes renomados de quatro religiões (católica, espírita, judaica e protestante) para debater o "Inferno" Bíblico. Confiram abaixo!

Dica: Clique no play, depois pause e espere carregar todo o programa para não travar.


Parte 1



Parte 2



Parte 3



Parte 4

14 de jan de 2009

O QUE É A UMBANDA SAGRADA?

A Umbanda é uma doutrina espiritualista, sendo uma religião totalmente brasileira, embora suas origens estão ligadas a uma ancestralidade de muitos milênios. Surgiu no Brasil em 1908 na cidade de Niterói/RJ pelo Sr. Zélio Fernandino de Moraes, que recebeu a incumbência do Caboclo das 07 Encruzilhadas, para iniciar em terras brasileiras, o culto do amor, da simplicidade, da caridade, e contato com todos espíritos bons, independentemente, se eram doutores, médicos, caboclos, indios, negros, todos terão sua voz. A influência africana e indígena dentro da cultura brasileira, desempenhou papel relevante na formação da Umbanda, da qual se constituiu um dos principais alicerces, dando-lhe, como contribuição primordial, Os Orixás. Em sua prática, a Umbanda aproxima-se mais da origem nativa do indio e do negro brasileiro.

No que é comumente chamado de Teologia (relação entre Deus e os homens), o seu cerimonial ou Liturgia (fórmulas consagradas de orações) tem em seus praticantes uma classificação hierárquica, uma estruturação e ritos próprios. Umbanda é Religião, que ajuda o próximo, e dá bons conselhos aos que a procuram. Podendo ser enquadrada em outro sentido, como por exemplo: Dentro da Umbanda existe um sincretismo religioso, porém com identidade própria, tendo fundamentos básicos a crença em um Deus único, a fé nos Orixas, comunicabilidade dos Espíritos dentro das linhas principais que são os caboclos, pretos-velhos e crianças.

Umbanda é coisa séria, para gente séria. Respeita todas religiões. Umbanda não é Candomblé, não é Catolicismo, não é Espiritismo, e nada tem a ver com a Quimbanda. A nossa religião deve ser tratada com carinho, amor, seriedade e estudo, sobretudo com renovação de caráter dos que a professam para que a mesma possa espelhar a grandeza de sua doutrina.
A Umbanda se sente desmerecida com o tratamento que lhe dispensam boa parte dos Terreiros onde se vê mais "animismo" do que "mediunismo"; mais interesses cúpidos do que magias; mais deslealdade do que autenticidade; mais personalismo do que espiritualismo. A Umbanda que está aí, não espelha sua verdadeira magnitude. São arremedos, nuances, propósitos, insultos, fantasias, infantilismos e graças ao nosso Deus Supremo (Zâmbi), em raros Terreiros, uma quase genuína manifestação do que seja a Umbanda, unicamente Umbanda. Porém, cabem aos Umbandistas, divulgarem através dos estudos, e da boa conduta, a verdadeira Umbanda que faz o bem, ajuda o próximo e não cobra nada por isso.
O sacrifício de animais (oferenda de sangue) , e fazer mal ao próximo, nunca foi, não é e nem será ritual de Umbanda.
"Não cobrar, não matar, usar o branco, evangelizar e utilizar as forças da natureza".
Portanto, podemos afirmar que a Umbanda é produto de evolução espiritual ou religiosa.

ORIGEM
Suas origens estão contidas nas filosofias orientais, fonte inicial de todos os cultos do mundo civilizado, que implantada em nossa terra, reuniu-se às práticas dos conceitos e crenças do índio, branco e negro. A raiz mais antiga do registro do vocábulo Umbanda encontra-se nos UPANISHADS, textos sagrados da Índia.
É comum ouvir dizer que a Umbanda foi trazida ao Brasil pelos escravos, entretanto devemos considerar que a Umbanda surgiu sobre o amálgama das crenças negras e nativas com o cristianismo. Segundo, Matta e Silva, "toda essa complexa mistura, que o leigo chama de macumba, baixo espiritismo, magia negra, envolvendo práticas fetichistas e barulhentas ... era a situação existente, quando surgiu um vigoroso movimento de luz, ordenado pelo astral superior, feito pelos espíritos que se apresentavam como Caboclos, Pretos Velhos e Crianças.

A origem da palavra Umbanda é oriunda do Sânscrito (a mais antiga língua da Terra _ raiz mestra dos demais idiomas existentes no mundo), que se pode traduzir por "DEUS AO NOSSO LADO" ou "O LADO DE DEUS". Um outro significado é UM _ DEUS (único) e BANDA _ POVO DA TERRA. A Umbanda não invoca os espíritos dos desencarnados sem luz.
Na Umbanda são trazidos, e não invocados, os espíritos dos desencarnados, através dos espíritos das Linhas (Caboclos e Pretos Velhos), a fim de conscientizá-los de que deixaram o mundo material, e portanto, deverão deixar de se ligar a tudo que é material.

PRINCÍPIOS
1. Na existência de Deus Único, Onipotente, Irrepresentável, adorado sob vários nomes (ZÂMBI);
2. Na crença de um "Orixá Maior", denominado de Oxalá;
3. Na crença de Entidades Espirituais em Plano Superior _ Os Orixás ou Santos, chefiando falanges;
4. Na crença de Guias Espirituais, mensageiros dos Orixás (Caboclos, Pretos Velhos, Crianças, Baianos, Boiadeiros, Marinheiros);
5. Na existência do Espírito, sobrevivendo ao homem, em caminho de evolução, buscando o aperfeiçoamento (Exus ou chamados de Guardiães);
6. Na crença da Reencarnação e na Lei Cármica de Causa e Efeito;
7. Na prática da Mediunidade, sob as mais variadas apresentações;
8. Na afirmação de que as Religiões constituem diversos caminhos de evolução espiritual, que conduzem a Deus;
9. Na prática da Caridade Material e Espiritual;
10. Na necessidade do Ritual, como elemento disciplinador dos trabalhos;
11. Na crença de que o Homem vive num Campo de Vibrações, que condicionam sua vida para o bem ou para o mal, conforme sua própria tônica vibratória.

MENSAGEM DO CABOCLO DAS 7 ENCRUZILHADAS
"A Umbanda tem progredido e vai progredir. É preciso haver sinceridade, honestidade e eu previno sempre aos companheiros de muitos anos: a vil moeda vai prejudicar a Umbanda; médiuns que irão se vender e que serão, mais tarde, expulsos, como Jesus expulsou os vendilhões do templo. O perigo do médium homem é a consulente mulher; do médium mulher é o consulente homem. É preciso estar sempre de prevenção, porque os próprios obsessores que procuram atacar as nossas casas fazem com que toque alguma coisa no coração da mulher que fala ao pai de terreiro, como no coração do homem que fala à mãe de terreiro. É preciso haver muita moral para que a Umbanda progrida, seja forte e coesa. Umbanda é humildade, amor e caridade – esta a nossa bandeira. Neste momento, meus irmãos, me rodeiam diversos espíritos que trabalham na Umbanda do Brasil: Caboclos de Oxossi, de Ogum, de Xangô. Eu, porém, sou da falange de Oxossi, meu pai, e não vim por acaso, trouxe uma ordem, uma missão. Meus irmãos: sejam humildes, tenham amor no coração, amor de irmão para irmão, porque vossas mediunidades ficarão mais puras, servindo aos espíritos superiores que venham a baixar entre vós; é preciso que os aparelhos estejam sempre limpos, os instrumentos afinados com as virtudes que Jesus pregou aqui na Terra, para que tenhamos boas comunicações e proteção para aqueles que vêm em busca de socorro nas casas de Umbanda. Meus irmãos: meu aparelho já está velho, com 80 anos a fazer, mas começou antes dos 18. Posso dizer que o ajudei a casar, para que não estivesse a dar cabeçadas, para que fosse um médium aproveitável e que, pela sua mediunidade, eu pudesse implantar a nossa Umbanda. A maior parte dos que trabalham na Umbanda, se não passaram por esta Tenda, passaram pelas que saíram desta Casa. Tenho uma coisa a vos pedir: se Jesus veio ao planeta Terra na humildade de uma manjedoura, não foi por acaso. Assim o Pai determinou. Podia ter procurado a casa de um potentado da época, mas foi escolher aquela que havia de ser sua mãe, este espírito que viria traçar à humanidade os passos para obter paz, saúde e felicidade. Que o nascimento de Jesus, a humildade que Ele baixou à Terra, sirvam de exemplos, iluminando os vossos espíritos, tirando os escuros de maldade por pensamento ou práticas; que Deus perdoe as maldades que possam ter sido pensadas, para que a paz possa reinar em vossos corações e nos vossos lares. Fechai os olhos para a casa do vizinho; fechai a boca para não murmurar contra quem quer que seja; não julgueis para não serdes julgados; acreditai em Deus e a paz entrará em vosso lar. É dos Evangelhos. Eu, meus irmãos, como o menor espírito que baixou à Terra, mas amigo de todos, numa concentração perfeita dos companheiros que me rodeiam neste momento, peço que eles sintam a necessidade de cada um de vós e que, ao sairdes deste templo de caridade, encontreis os caminhos abertos, vossos enfermos melhorados e curados, e a saúde para sempre em vossa matéria. Com um voto de paz, saúde e felicidade, com humildade, amor e caridade, sou e sempre serei o humilde Caboclo das Sete Encruzilhadas".

11 de jan de 2009

O QUE É O HINDUÍSMO?

O hinduísmo é uma forma diferente de entender a vida para qual os valores ocidentais são extremamente estranhos. Os ocidentais tendem a ver a vida como a linha cronológica de eventos na história, já os hindús vêm a vida como um ciclo repetitivo no qual a história humana pouco importa.

Nomes de Deuses e expressões hindús:
Gita quer dizer divino em hindú.
Não é tão fácil entendê-lo assim, pois não tem credo definido, nem hierarquia sacerdotal muito menos um órgão governante, mas possuem os suamis (mestres) e os gurus(guias espirituais).
O hinduísmo possui muitos deuses mas todos simbolizam um só, porque estas representações são os poderes que o Deus uno pode ter.
As raízes do hinduísmo se baseiam nas escrituras sagradas chamadas VEDAS.
Os hindús referem a sua fé como sanatana darma, que significa lei ou ordens eternas, daí já podemos perceber a lei do kharma em vigor.

O hinduísmo derivou diversas outras religiões, entre elas as mais conhecidas são o JAINISMO e o SIQUISMO. A primeira não difere muito do conceito hindú, há pequenas diferenças como nome de Deuses e abnegação a violência. A segunda já é uma junção entre os conceitos hindús e os islâmicos. Ela se iguala ao hinduísmo pelo fato de possuir as mesmas ideologias filosóficas e assemelha-se com o islamismo pelas ideologias teológicas. Vamos dizer que usam os princípios hindús aplicando-os nos conceitos islâmicos. Além do hinduísmo realizar entradas para outras religiões ele proporcionou o início de grandes filosofias como a IOGA, o AIKIDÔ(nome este em japonês) mas a técnica é hindú.

Sistema castas:
Devido ao fato de dividir em sociedades hierárquicas os descendentes de certos indivíduos, ou seja, acreditam que cada pessoa junto com seus ancestrais vieram de uma parte do corpo de um DEUS, sendo assim, cada vez mais baixo que é a parte do corpo referente menos bens você pode ter na Terra.

O hinduísmo realmente é uma religião muito complexa e ampla, realmente só um suami para enfatizar os ensinamentos hindús.
No hinduísmo os animais são sagrados, devido ao fato de crerem que são as múltiplas facetas de Brahman que é o criador, o DEUS hindú, logo após constituindo a tríade vem Vishnu o conservador e Shiva o destruidor, o senhor da fertilidade.

Como muitas religiões que surgiram do Oriente eles enfatizam muito a meditação, a concentração, o desinteresse pelos bens materiais, isto até certo ponto é interessante, porque eles se abdicam da inveja, ambição, orgulho, defeitos que os ocidentais encaram como fatos cotidianos. Eles realmente só pensam em evoluir-se espiritualmente. Daqui nada levaremos senão nosso aprendizado, nossa cultura, nossa sabedoria. Cultura é algo que você aprende externamente através de leituras e informações e sabedoria é o que vem de dentro do seu coração, é o que você absorve através de experiências, provas e evoluções que o indivíduo sofre, a sabedoria é o mais importante porque aquele que é sábio sabe redimir-se, sabe perdoar, sabe sentir amor, isto é sabedoria, é procurar cada vez mais ajudar o teu próximo, sendo assim, levará consigo sua sabedoria atingindo cada vez mais sua evolução através da reencarnação.

O QUE É O MOVIMENTO HARE KRISHNA?

O Movimento Hare Krishna está inserido na mais antiga tradição religiosa de que se tem conhecimento. Ele é a própria religião Vaishnava (tradição monoteísta com milhões de seguidores na Índia e no Ocidente; cultiva a devoção a Vishnu ou Krishna), que é o tronco principal do complexo filosófico denominado hinduísmo.

Baseados nas conclusões de grandes mestres espirituais, os vaishnavas consideram Sri Caitanya Mahaprabhu uma encarnação do Senhor Krishna. Pouco antes de o Brasil ser descoberto, acontecia, na Índia, um importante movimento, com bases populares, de renascimento do sentimento de bhakti, devoção a Deus. O responsável por essa revolução espiritual foi grande santo e filósofo Sri Caitanya Mahaprabhu, que reviveu a prática de meditação sonora no mantra "Hare Krishna Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare".

Caitanya Mahaprabhu também ensinou que qualquer nome referente a Deus (por exemplo, Jeová, Alá, Krishna, Rama, etc.) é completamente puro e qualquer pessoa, seja qual for sua religião, filosofia, cultura ou tradição, pode praticar este processo de cantar os santos nomes de Deus e assim obter todos os benefícios decorrentes desta prática de meditação, a saber o fim das ansiedades mentais, controle da mente e dos sentidos, desenvolvimento da consciência e a suprema proposta de todas as religiões autênticas: desenvolver amor puro por Deus. Esta prática é baseada no milenar conhecimento védico originário da Índia. Este conhecimento está chegando até nós através de uma linha de sucessão discipular, isto é, uma corrente de mestres espirituais e discípulos, autêntica e ininterrupta, que vem desde os primórdios da criação. Nesta seqüência de mestres espirituais, situa-se sua divina graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, que fundou em 1966, na cidade Nova Iorque, a Sociedade Internacional da Consciência Krishna, a ISKCON, mais conhecida como movimento Hare Krishna. Srila Prabhupada veio a falecer em 1977, deixando seus discípulos mais adiantados com a função de dirigir espiritualmente o Movimento e iniciar discípulos. Sucessão discípular: A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada , Bhaktisidanta Sarasvati Goswami Maharaj, Goura Kisora Das Babaji Maharaj, Bhaktivinoda Takura, 6 Goswamis de Vrindavana e Sri Pancha Tatva.

Em 30 de setembro de 1976, na convenção anual da Academia Americana de Religião, duzentos acadêmicos americanos e canadenses assinaram uma petição defendendo a autenticidade do Movimento Hare Krishna. "O Hare Krishna representa a chegada na América da Bhakti vaisnavita, na milenar tradição devocional proveniente da Índia." - Harvey Cox, professor de teologia da Universidade de Harvard. "Na América, há pessoas que rotulam o movimento Hare Krishna como um culto e tem colocado em questão sua autenticidade. Isto é espantoso e um entristecedor testemunho de nosso isolamento cultural. Esta tradição religiosa ocupa um respeitoso lugar na vida religiosa da humanidade." - Dra. Diana Eck, historiadora de religião na Universidade de Harvard.

QUAL É A ORIGEM DO MOVIMENTO HARE KRISHNA?
Embora a Sociedade Internacional da Consciência de Krishna (ISKCON) tenha se estabelecido no ocidente apenas em meados dos anos sessenta, suas raízes se estendem há milhares de anos no passado. O estilo de vida e crenças filosóficas praticadas por seus membros baseiam-se nas escrituras Védicas milenaras, tais como os Vedas, os Upanishads, os Puranas e o Bhagavad-gita, o principal livro do Movimento Hare Krishna.
O Bhagavad-gita foi falado pelo Senhor Krishna cinco mil anos atrás ao seu intimo amigo e discípulo Arjuna, momentos antes da batalha de Kurukshetra. Entretanto, no decorrer do tempo, esse conhecimento foi quase perdido, até o começo do século dezesseis, quando ocorreu na Índia um grande renascimento espiritual motivado por Sri Chaitanya Mahaprabhu, que ainda hoje é reverenciado por muitos estudiosos e teólogos como uma encarnação direta do próprio Deus. Sri Chaitanya demonstrou e propagou a devoção ao Senhor Krishna, abrindo caminho para uma maciça renascença da consciência de Krishna, o qual varreu o subcontinente indiano, ganhando milhões de seguidores em toda a parte. Sri Chaitanya ensinou que o meio mais fácil de alcançarmos a auto-realização é através do cantar dos santos nomes de Deus, em especial o mantra Hare Krishna. Sem distinção, Ele acolheu a participação de pessoas de classe baixa e não hindus, quebrando as barreiras sociais estabelecidas na Índia. Sob a direção de Sri Chaitanya Mahaprabhu, seus discípulos mais íntimos compilaram centenas de volumes sobre a filosofia da consciência de Krishna. Nos séculos que se seguiram a força do movimento diminuiu de forma considerável, até as últimas décadas do século dezenove. Nessa ocasião, Bhaktivinoda Thakura, o magistrado da cidade de Puri e um representante da linha de sucessão discipular proveniente de Sri Chaitanya Mahaprabhu estabeleceu uma sociedade religiosa conhecida como Sri Sri Vishva-Vaishnava Rajasabha. Através de seus escritos devocionais, Srila Bhaktivinoda Thakura inspirou um renascimento de interesse nos ensinamentos de Sri Chaitanya Mahaprabhu. Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Gosvami continuou a missão de seu pai estabelecendo o Instituto da Missão Gaudiya, com sessenta e quatro centros em toda Índia.
Foi um dos discípulos de Srila Bhaktisiddhanta, Sua Divina Graça A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, quem depois trouxe para o mundo ocidental os ensinamentos de Sri Chaitanya.

O QUE SIGNIFICA HARE KRISHNA?
O entoar do mantra de Hare Krishna é recomendado nos Vedas como o método mais fácil para a auto-realização na atual Era de Kali (a Era de Ferro ou Desavenças). Krishna é um nome de Deus em sânscrito e significa “todo-atrativo”, e Rama é um outro nome de Deus, cujo significado é “reservatório do prazer”. Hare é a energia divina do Senhor. O mantra Hare Krishna significa: “Ó Senhor todo atrativo e pleno de bem-aventurança, ó energia do Senhor, por favor, ocupem-me em Seu serviço devocional”. Há duas formas de se entoar este mantra: o canto congregacional (kirtana) e o canto individual, em geral feito com contas (semelhantes as de um rosário) para melhorar a concentração (japa). Em ambos os métodos, não há nenhuma regra fixa ou rigorosa para esta alegre e sistemática forma de meditação.

QUEM É KRISHNA?
Krishna é a Suprema Personalidade de Deus, a Verdade Absoluta, a fonte de tudo e a causa de todas as causas. Krishna é a forma mais elevada e original de Deus. Deus assume muitas formas, mas a forma original é de Krishna. Nas escrituras, especialmente o Srimad Bhagavatam, existem explicações detalhadas de Sua morada, Sua aparência, Seus passatempos, Suas expansões, Suas energias, etc. Ele é dotado de seis opulências, todas ao grau infinito: beleza, força, sabedoria, riqueza, fama e renuncia. Ele sabe tudo que aconteceu, tudo que está acontecendo e tudo que vai acontecer. Ele é infinitamente misericordioso.
Ele é o beneficiário de todos os sacrifícios e austeridades, o Senhor Supremo de todos os planetas e semideuses e o benfeitor e bem-querente de todas as entidades vivas.
Nas escrituras explica que uma das expansões de Krishna (o Senhor Sesa) tem um cem número de bocas e está descrevendo as glórias de Krishna desde de tempos imemoriais, e mesmo assim não consegue nunca chegar ao final. Outra passagem do Srimad Bhagavatam explica que mesmo se pudéssemos contar todos átomos no universo, mesmo assim não poderíamos enumerar todas as qualidades transcendentais do Senhor Krishna.
Krishna é um dos principais nomes de Deus, que significa o “todo atrativo".

10 de jan de 2009

O QUE É O BUDISMO?

Sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo príncipe hindu Sidarta Gautama (563-483 a.C.), ou Buda, por volta do século VI a.C.
O nome Buda vem do sânscrito-devanagari: बुद्ध, transliterado Buddha, que significa Desperto, Iluminado, do radical Budh-, "despertar") é um título dado na filosofia budista, àqueles que despertaram plenamente para a verdadeira natureza dos fenômenos e se puseram a divulgar tal redescoberta aos demais seres.

HISTÓRIA DE BUDA
Buda nasceu numa família real do reino do Himalaia, no século VI antes de Cristo. Era ainda uma criancinha quando um velho sábio chamado Asita visitou o palácio. Asita era um homem de Deus e trouxe as boas novas ao pai de Buda de que filho haveria de tornar-se o Salvador da Humanidade. Buda então foi chamado de Príncipe Gautama. Seu pai deu ao Amado Filho todas as alegrias da vida. Desejava fazer dele um bom rei. Mas Gautama achou que os prazeres do mundo não traziam a felicidade. Um dia, viu um homem velho, depois um doente e em seguida um cadáver. Descobriu que todos os seres humanos estão sujeitos ao sofrimento e à morte. Portanto, compreendeu que somente a felicidade espiritual podia tornar os homens realmente felizes. Deixou seu lar, a esposa e o filho para ir em busca da verdade espiritual. No início, foi para as selvas distantes onde privou-se de alimentos e conforto. Isto foi inútil, pois se o corpo fica enfraquecido, os poderes mentais também se debilitam. Foi sob uma árvore, Bodí, na Índia, após muita meditação, que Buda recebeu a iluminação. Disse aos homens para purificarem suas almas e suas mentes. Ensinou-lhes como evitar a voracidade e a desonestidade e que compreendessem que este mundo de sofrimento era um lugar onde todos deviam se preparar para as alegrias e felicidades espirituais e eternas.

ENSINAMENTOS E DOUTRINA DE BUDA
O Budismo consiste no ensinamento de como superar o sofrimento e atingir o Nirvana (estado total de paz e plenitude) por meio da disciplina mental e de uma forma correta de vida. Crença na reencarnação. Os budistas acreditam no samsara ou no ciclo de renascimento. O samsara é regido pela lei do Carma: a boa conduta produz bom carma e a má conduta produz carma maléfico. Os budistas acreditam que o carma da alma transmigra entre os corpos e torna-se uma "semente de consciência" . Os períodos de vida após a morte, às vezes chamados de "espaço intermediário", pontuam o samsara, vindo após a morte e antes do renascimento .
A doutrina é baseada nas Quatro Grandes Verdades de Buda:

1.
A existência implica a dor.
O nascimento, a idade, a morte e os desejos são sofrimentos. A origem da dor é o desejo e o afeto.

2. As pessoas buscam prazeres que não duram muito tempo e buscam alegria que leva a mais sofrimento.

3. O fim da dor só é possível com o fim do desejo.

4. A Quarta Verdade se prega que a superação da dor só pode ser alcançada através dos oito passos de Buda:
- 1º Passo - Visão Correta: o adepto deve aceitar as Quatro Verdades e os oito passos de Buda.
- 2º Passo - Pensamento Correto: o adepto deve renunciar todo prazer através dos sentidos e o pensamento mal.
- 3º Passo - Fala Correta: o adepto não deve mentir, enganar ou abusar de ninguém.
- 4º Passo - Ação Correta:o adepto não deve destruir nenhuma criatura, ou cometer atos ilegais.
- 5º Passo - Meio de Vida Correto: o modo de vida não deve trazer prejuízo a nada ou a ninguém.
- 6º Passo - Esforço Correto: o adepto deve evitar qualquer mal hábito e desfazer de qualquer um que o possua.
- 7º Passo - Atenção Correta: o adepto deve observar, estar alerta, livre de desejo e da dor.
- 8º Passo - Meditação Correta: ao abandonar todos os prazeres sensuais, as más qualidades, alegrias e dores, o adepto deve entrar nos quatro graus da meditação, que são produzidos pela concentração.

Para o Budismo, o impedimento para a iluminação é a ignorância. Deve-se combater a ignorância lendo e estudando.

CINCO PRECEITOS BUDISTAS
1. Proibição de matar;
2. Proibição de roubar;
3. Proibição de ter relações sexuais ilícitas;
4. Proibição do falso testemunho;
5. Proibição do uso de drogas e álcool.

O QUE É O JUDAÍSMO?

O judaísmo é considerado a primeira religião monoteísta a aparecer na história. Tem como crença principal a existência de apenas um Deus, o criador de tudo. Para os judeus, Deus fez um acordo com os hebreus, fazendo com que eles se tornassem o povo escolhido e prometendo-lhes a terra prometida. Atualmente a fé judaica é praticada em várias regiões do mundo, porém é no estado de Israel que se concentra um grande número de praticantes.

CONHECENDO A HISTÓRIA DO POVO JUDEU
A Bíblia (TANACH em hebraico) é a referência para entendermos a história deste povo. De acordo com as escrituras sagradas, por volta de 1800 AC, Abraão recebeu uma sinal de Deus para abandonar o politeísmo e para viver em Canaã (atual Palestina). Isaque, filho de Abraão, tem um filho chamado Jacó. Este luta , num certo dia, com um anjo de Deus e tem seu nome mudado para Israel. Os doze filhos de Jacó dão origem as doze tribos que formavam o povo judeu. Por volta de 1700 AC, o povo judeu migra para o Egito, porém são escravizados pelos faraós por aproximadamente 400 anos. A libertação do povo judeu ocorre por volta de 1300 AC. A fuga do Egito foi comandada por Moisés, que recebe as tábuas dos Dez Mandamentos no monte Sinai. Durante 40 anos ficam peregrinando pelo deserto, até receber um sinal de Deus para voltarem para a terra prometida, Canaã.
Jerusalém é transformada num centro religioso pelo rei Davi. Após o reinado de Salomão, filho de Davi, as tribos dividem-se em dois reinos : Reino de Israel e Reino de Judá. Neste momento de separação, aparece a crença da vinda de um messias que iria juntar o povo de Israel e restaurar o poder de Deus sobre o mundo. Em 721 a.C começa a diáspora judaica com a invasão babilônica. O imperador da Babilônia, após invadir o reino de Israel, destrói o templo de Jerusalém e deporta grande parte da população judaica.
No século I, os romanos invadem a Palestina e destroem o templo de Jerusalém. No século seguinte, destroem a cidade de Jerusalém, provocando a segunda diáspora judaica. Após estes episódios, os judeus espalham-se pelo mundo, mantendo a cultura e a religião. Em 1948, o povo judeu retoma o caráter de unidade após a criação do estado de Israel.

OS LIVROS SAGRADOS DOS JUDEUS
A Torá ou Pentateuco, de acordo com os judeus, é considerado o livro sagrado que foi revelado diretamente por Deus. Fazem parte da Torá : Gênesis, o Êxodo, o Levítico, os Números e o Deuteronômio. O Talmude é o livro que reúne muitas tradições orais e é dividido em quatro livros: Mishnah, Targumin, Midrashim e Comentários.

RITUAIS E SÍMBOLOS JUDAICOS
Os cultos judaicos são realizados num templo chamado de sinagoga e são comandados por um sacerdote conhecido por rabino. O símbolo sagrado do judaísmo é o menorá, candelabro com sete braços.
Menorá : candelabro sagrado
Entre os rituais, podemos citar a circuncisão dos meninos ( aos 8 dias de vida ) chamado de Brit Milá. O Bar Mitzvah que representa a iniciação na vida adulta para os meninos (aos 13 anos de idade) e a Bat Mitzvah para as meninas ( aos 12 anos de idade ). Os homens judeus usam a kippa, pequena touca, que representa o respeito a Deus no momento das orações. Nas sinagogas, existe uma arca, que representa a ligação entre Deus e o Povo Judeu. Nesta arca são guardados os pergaminhos sagrados da Torá.

FESTAS JUDAICAS
As datas das festas religiosas dos judeus são móveis, pois seguem um calendário lunisolar. As principais são as seguintes:
Purim - os judeus comemoram a salvação de um massacre elaborado pelo rei persa Assucro.
Páscoa ( Pessach ) - comemora-se a libertação da escravidão do povo judeu no Egito, em 1300 AC.
Shavuót - celebra a revelação da Torá ao povo de Israel, por volta de 1300 a.C.
Rosh Hashaná - é comemorado o Ano-Novo judaico.
Yom Kipur - considerado o dia do perdão. Os judeus fazem jejum por 25 horas seguidas para purificar o espírito.
Sucót - refere-se a peregrinação de 40 anos pelo deserto, após a libertação do cativeiro do Egito.
Chanucá - comemora-se o fim do domínio assírio e a restauração do tempo de Jerusalém. Simchat Torá - celebra a entrega dos Dez Mandamentos a Moisés.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/judaismo/

O QUE É A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA?

A Igreja Católica, chamada também de Igreja Católica romana e Igreja Católica Apostólica Romana, é uma Igreja Cristã colocada sob a autoridade suprema do Papa, Bispo de Roma e sucessor do apóstolo Pedro, sendo considerada pelos católicos como o autêntico representante de Deus na Terra e por isso o verdadeiro Chefe da Igreja Universal (Igreja Cristã ou união de todos os cristãos).

Seu objetivo é a conversão ao ensinamento e à pessoa de Jesus Cristo em vista do Reino de Deus. Para este fim, ela administra os sacramentos e prega o Evangelho de Jesus Cristo. Ela não pensa como uma Igreja entre outras mas como a Igreja estabelecida por Deus para salvar todos os homens. Esta ideia é visível logo no seu nome: o termo "católico" significa universal em grego. Ela elaborou sua doutrina ao longo dos concílios a partir da Bíblia, comentados pelos Pais e pelos doutores da Igreja. Ela propõe uma vida espiritual e uma regra de vida aos seus fiéis inspirada no Evangelho e definidas de maneira precisa. Regida pelo Código de Direito Canônico, ela se compõe, além da sua muita bem conhecida hierarquia ascendente que vai desde o diácono ao supremo Papa. De vários movimentos apostólicos, que comportam notadamente as ordens religiosas.
No início dos anos 1990, a Igreja Católica contava aproximadamente com 928,5 milhões de membros (seja 17,7 % da população mundial), distribuídos principalmente na Europa e nas Américas, mas também noutras regiões do mundo. Sua influência na história do pensamento bem como sobre a história da arte é considerável, notadamente na Europa.

LÍDER DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA: O PAPA
Papa (do latim papa ou pappa, "papá" ou "papai", "tutor", derivado por sua vez do grego πάππας, páppas, forma afetuosa de "pai") é o título dado ao chefe supremo da Igreja Católica, Bispo de Roma, e também chefe do Estado do Vaticano e Patriarca da Igreja Latina ou Ocidental. O Papa, considerado o Sucessor de São Pedro e Vigário de Cristo, é o perpétuo e visível princípio e fundamento da unidade da Igreja. Quando referido como cargo eclesiástico, surge como Sumo Pontífice, a autoridade suprema.

Fonte: Wikipédia http://pt.wikipedia.org/wiki/Cat%C3%B3lico

ORIGEM DO PROTESTANTISMO

A origem do Protestantismo dá-se através do ex-monge agostiniano Martim Lutero na Alemanha, o qual segue abaixo sua história.

Nascido a 10 de novembro de 1483 na cidade de Eisleben/Alemanha, Martim Lutero foi filho de uma família de mineiros pobres. Estudou filosofia e direito e no ano de 1505 entrou para a Ordem dos Agostinianos. Tornou-se monge, sendo ordenado sacerdote no ano de 1507. Defendeu tese de doutoramento em teologia no ano de 1512. Leciona na cidade de Wittenberg, onde desencadeia, a partir de um estudo acurado das Sagradas Escrituras, um movimento que modificará profundamente o cenário eclesiástico ocidental.
Em 1517 publica 95 teses em que preconiza reformas no interior da Igreja Católica. Não encontrou acolhida para as suas propostas, sendo excomungado no ano de 1521. Proscrito pelas autoridades, acabou sendo sequestrado por simpatizantes de suas idéias.
Redige pequenos livretos e traduz a Bíblia para a língua alemã. Suas teses encontram eco e se espalham rapidamente graças à imprensa. Suas idéias são propagadas e desencadeia-se um movimento reformador em vários países europeus. Outros simpatizantes lideram iniciativas semelhantes na Suiça e na França.
Graças a uma conjuntura política favorável, Martim Lutero consegue ser porta-voz de anseios mudancistas existentes na sociedade da época. Casa-se com Catarina de Bora no ano de 1525, abrindo mão de seu voto de celibato.
Pregador brilhante e estudioso exemplar da Bíblia, pronuncia-se acerca de temas que agitavam a sociedade alemã e européia.
A tradução da Bíblia permite que milhares de pessoas tenham acesso ao texto sagrado. Edita um pequeno catecismo para que os pais possam ensinar a seus filhos as bases da fé cristã.
Defende e reivindica junto às autoridades a construção de escolas para rapazes e moças. Músico, compõe inúmeros hinos com melodias e ritmos populares que se tornam verdadeiras prédicas evangélicas.
Denuncia as injustiças sociais e cobra das autoridades mudanças na ordem econômica e social.
Em 1546, no dia 18 de fevereiro, aos 62 anos, Martinho Lutero faleceu.

Fonte: Site da Igreja Luterana

9 de jan de 2009

O QUE É O RACIONALISMO CRISTÃO?

O Racionalismo Cristão é uma filosofia para o nosso tempo. Estudar a Doutrina e submeter o que vai lendo ao crivo da razão é o caminho indicado para as pessoas que, como você, desejam se esclarecer, e não renunciar ao seu direito de ser independentes para pensar, raciocinar e tirar suas próprias conclusões. O conhecimento da vida real, ou espiritual, não pode ser alcançado por aqueles que, sem raciocinar e imbuídos de misticismo, se limitam a repetir "verdades" dogmáticas e conceitos concebidos em épocas obscurantistas, os quais a razão, o bom senso e a ciência não podem admitir como verdadeiros.

O Racionalismo Cristão, por ser uma filosofia espiritualista, divulga princípios universais para que sejam estudados e, após a necessária reflexão, colocados em prática, tornando os seres humanos espiritualmente independentes.

A SOLUÇÃO ESTÁ EM VOCÊ MESMO!
Esta Doutrina, além de importantes esclarecimentos sobre a vida espiritual, lhe oferece orientações seguras para você resolver, por si mesmo, seus problemas, mesmo os de caráter psíquico, tais como depressão, alcoolismo, visões, angústia, ansiedade, obsessão, manias, fobias e outros. Ou seja, vai lhe ensinar que está em você mesmo a solução de seus problemas. Ela mostra que não há milagres, pois tudo no Universo está sujeito a leis comuns, naturais e imutáveis.

Se você cansou de procurar e não encontrar respostas para suas indagações, então aceite nosso convite para estudar a doutrina racionalista cristã.

Fonte: Site oficial do Racionalismo Cristão

7 de jan de 2009

PILARES DO ISLAMISMO

Islam fundamenta-se em 5 pilares. São eles:

1- Shahada (Testemunho de fé)
Ou seja," testemunhar que não existe divindade digna de adoração a não ser Deus, e que Muhammad é Seu mensageiro". Tal testemunho, é a chave de todo o Islam.O significado de “testemunhar que não existe divindade a não ser Deus”, é testemunhar que não existe nada a ser adorado exceto Ele, pois só Ele é a divindade única, e todas as outras não o são. Em árabe, a palavra “ilah” (divindade) significa “maabud” ou seja: o adorado, daí a palavra “Allah”, Deus, em árabe.Já o significado de “testemunhar que Muhammad é Seu mensageiro”, é crer em tudo aquilo que ele (Muhammad) disse, obedecê-lo no que ordenou e abster-se daquilo que ele proibiu e que não adore senão a Deus.Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) é citado nesse testemunho, não por ser o mais belo, o mais inteligente, o mais poderoso ou o mais importante dentre os profetas, mas sim porque ele foi o último, que selou a mensagem de Deus na Terra. Quando a pessoa declara o testemunho de que "Muhammad é Seu mensageiro", com estas palavra a pessoa já está aceitando todos os mensageiros anteriores.Um dos principais requisitos do testemunho e que este seja sincero e de coração. Não deve ser feita buscando qualquer outra intenção que não seja adorar a Deus.

2- Al Salat (A Oração)
São elas cinco, em horários específicos do dia e da noite. Deus as prescreveu para que seja a ligação entre Deus e os crentes como uma maneira de agradecê-Lo, adorá-Lo e suplicá-Lo, e também para que mantenham os crentes longe das ações más e reprováveis. Nelas se encontra a purificação da fé e o perdão dos pecados, deixando quem as pratica em paz espiritual.

3- Al Zakat (Caridade)
O zakat seria uma forma de "caridade", paga obrigatoriamente todos os anos diretamente a quem o necessita dentre os pobres e necessitados dentro da sociedade, não há intermediação nenhuma da mesquita ou do líder religioso, o caridoso oferece a caridade diretamente ao necessitado. Vale lembrar que a melhor forma de caridade é que aquela cujo o conhecimento de tal obra permanece somente entre a pessoa que ajudou, a pessoa que foi ajudada e Deus. O zakat não é obrigatório àqueles que não podem pagá-lo, ou seja, quem não tem condições de pagar será aquele que irá receber. E isso se dá para que seja como uma forma de purificação espiritual dos bens acumulados e como um compromisso para com os necessitados. É também uma forma de prestar uma ajuda pessoal para a sociedade, sendo uma parcela um tanto quanto ínfima se comparado ao que Deus o Altíssimo o agraciou. No geral, o valor do zakat é de 2,6% do todo o lucro liquído que um muçulmano obteve durante todo o ano. A parte do zakat, o muçulmano pode realizar caridades em qualquer época do ano.

4- Al Siam (O Jejum)
É o jejum do mês sagrado do Ramadan, o nono mês do calendário lunar. O jejum é praticado por todos os muçulmanos, que se abstêm de comer, beber e das relações sexuais durante o dia, desde o nascer até o pôr do sol. Deus por Sua vez, os recompensa com sua graça, abençoando-os e fazendo com que os crentes fiquem mais fortes em sua fé, e purificando-os dos pecados.

5- Al Hajj (A Peregrinação)
O quinto pilar é a peregrinação (hajj -em árabe) à Ka'abah (primeira casa de adoração a Deus, construída por Abraão (que a paz e a bênção de Deus estejam sobre ele) e seu filho Ismael, situada em Makkah, na Árabia Saudita), com a intenção única de adorar a Deus. Deve ser feita pelo menos uma na vida do muçulmano. Isso acontece em lugares específicos, e em épocas específicas como é sabido na Lei Islâmica. Deus somente ordenou a peregrinação àqueles que podem performá-la (praticá-la), isto é, é obrigatória somente à aquelas pessoas que tenham condições mentais, físicas e financeiras de realizá-la. Nela, se encontram muçulmanos de todas as partes do mundo, adorando um só Deus, vestindo-se da mesma forma, sem distinção entre o governante e o governado, ou entre pobres e ricos. Os peregrinos performam (praticam) determinados ritos, sendo os maiores deles a permanência em Arafat, e circundar a Ka'abah (como recordação da misericórdia de Deus para com a esposa e o filho de Abraão), o ponto para onde os muçulmanos se dirigem ao rezar. O maioria dos rituais praticados no Hajj, remontam ações praticadas pela família do profeta Abraão (que a paz e a bênção de Deus estejam sobre ele).

PILARES DA CRENÇA

1 - A Crença em Deus
- A crença na soberania divina. Crer que Deus é o Criador, o Sustentador e o Soberano de tudo o que se refere à criação, bem como o único que decide seu destino.
- A crença na divindade de Deus; ou seja, crer que Deus é o único a ser adorado, e tudo o que se adora além d'Ele, é falso.
- A crença nos nomes e atributos de Deus, e que eles são completos e perfeitos, e tais nomes devem ser corroborados pelo Alcorão, ou pelas tradições (ditos) do profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele).

2 - A Crença nos Anjos
- Os anjos foram criados por Deus, O adoram e O obedecem. Deus os encarregou com diferentes tarefas, como por exemplo Gabriel que é responsável por levar as mensagens de Deus aos profetas, Mikael (Miguel) responsável pelas chuvas e crescimento das plantas e Izrafil que será o responsável por soprar a trombeta no Dia da Ressurreição. Também há o anjo da morte, que é o encarregado de recolher as almas dos mortos.

3- A Crença nos Livros
Deus, o Altíssimo, revelou livros para os mensageiros contendo a Guia Divina. Alguns desses livros nos são conhecidos, como por exemplo:
- A Torá: revelada ao profeta Moisés (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele), é o principal livro revelado ao Povo de Israel.
- O Evangelho: revelado a Jesus (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele).
- Os Salmos: dados a Davi (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele).
- Os Pergaminhos de Abraão: (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com ele).
- O Alcorão Sagrado: revelado ao profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) último dos profetas. Com ele, o Alcorão.
Deus abrigou todas as revelações anteriores, e se responsabilizou pela preservação do mesmo. Este, foi revelado em árabe, e depois de compilado, nenhuma vírgula ou pontuação foi modificada. Os muçulmanos memorizam o Alcorão e o recitam.

4- A Crença nos Mensageiros
Deus, o Sapientíssimo, enviou mensageiros para Sua criação. O primeiro deles foi Adão e último, Muhammad (que a paz e as bênçãos de Deus estejam com todos eles).
Todos os profetas, e entre eles Jesus, eram humanos, e nunca tiveram características divinas. Eram servos de Deus, os quais foram agraciados por Ele com Suas mensagens.
Por fim, foi enviado Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) para toda a humanidade na condição de último profeta, não virá depois dele nenhum outro.

5- A Crença no Dia do Juízo Final
O Dia do Juízo Final, será o último dos dias no qual Deus, Todo Poderoso, ressuscitará as pessoas de seus túmulos para que posteriormente permaneçam no Paraíso, ou no Inferno. Já a crença no Dia do Juízo Final, é crer em tudo o que há de vir depois da morte, como por exemplo o castigo já no túmulo, ou suas recompensas e o que virá depois disso, como a ressurreição, o agrupamento, o prestar de contas, e por fim, o Paraíso e o Inferno.


6- A Crença na Predestinação
A predestinação, é crer que Deus criou Suas criaturas, de acordo com sua sabedoria prévia e absoluta antes de tudo acontecer. Tudo o que aqui está, já estava em sua sabedoria antes de sê-lo, e escrita em Sua Tábua Guardada. Logo, nada existiu, ou aconteceu sem Sua vontade.

Fonte: Contribuição de Mariam Tieppo

PRINCÍPIOS DA FÉ NO ISLAM

A fé do crente muçulmano é embasada nos seguintes fundamentos:

1. A crença em um Deus Único, Supremo e Eterno, Clemente e Misericordioso, Infinito e Poderoso.

2. A crença em todos os mensageiros de Deus sem nenhuma discriminação entre eles. O primeiro profeta foi Adão (Que a Paz esteja com ele) e o último foi Muhamad (Que a Paz esteja com ele). Os mensageiros foram mandados em várias épocas para propagar a Sua Divina Mensagem. "Nós cremos em Deus e na revelação que nos foi dada, e em Abraão, Ismael, Isaac, Jacó e nas tribos; e no que foi dado a todos os profetas pelo Senhor. Não fazemos nenhuma discriminação entre eles, e inclinamo-nos perante Deus". (2:136, 3:84; 4:163-165; 6:84-87).

3. A crença em todas as escrituras e revelações de Deus. O Alcorão faz referências aos livros de Abraão, Moisés, David e Jesus, porém os livros que se encontram hoje não os livros autênticos, enquanto que o Alcorão por sua vez, existe na sua forma original, tal qual foi revelado por Deus. "Nós (Deus) revelamos a mensagem (o Alcorão) e somos Nós (Deus) que o guardamos (integral e intocável)".(15:9)

4. A crença nos anjos de Deus que são seres puramente espirituais, cuja natureza não precisa de alimentos, bebida ou sono. Passam dias e noites a serviço de Deus e foram feitos de luz. A crença nos gênios que são criaturas criadas a partir do fogo e que vivem em outra dimensão. A crença nos anjos e gênios baseia-se no princípio islâmico que diz que "o conhecimento e a verdade não se limitam só ao conhecimento sensorial ou a percepção sensorial." (16:49-50;21:19-20)

5. A crença no dia do juízo final. Tudo o que fazemos nesta vida, cada movimento ou intenções são registradas com cuidado e tudo será considerado no dia do juízo.

6. A crença no conhecimento de Deus e no Seu Poder de conceber e cumprir os Seus planos. Isso, porém não impede o muçulmano de pensar, planejar e fazer opções. Mas se não acontecer como planejado, não se deve perder a fé nem se esgotar em lamentações arruinantes. Deve-se tentar outra vez, pedir o auxílio de Deus e o que se encontra além da capacidade e responsabilidade do muçulmano é do domínio de Deus. Este fundamento é conhecido como crença no "Qadá" e no "Qadar". O conhecimento eterno de Deus antecipa os acontecimentos e que os acontecimentos verificam-se conforme o conhecimento exato de Deus. (18:29; 41:46)

7. A crença no sentido da criação, que a vida tem uma finalidade sublime além das necessidades físicas e atividades materiais do homem. A finalidade da vida é a adoração de Deus, isto significa conhece-Lo, amá-Lo, obedecer a Seus mandamentos, servir a sua causa fazendo o bem e afastando o mal, ser justo com Ele, para consigo próprio e para com os semelhantes. Adorar a Deus é viver a vida, não fugir dela.

8. A crença no estatuto especial do homem entre todas as criaturas conhecidas. (2:30-34;6:165;7:11)

9. A crença de que o próprio ato do nascimento verifica-se com a vontade de Deus e que cada pessoa que nasce dispõe das potencialidades espirituais e das inclinações intelectuais que podem torna-lo um bom muçulmano, se tiver acesso ao Islam e se lhe for deixado desenvolver a sua natureza inata.

10. A crença de que cada pessoa nasce livre do pecado e de qualquer pretensão à virtude herdada. Este conceito islâmico de liberdade baseia-se no princípio da justiça de Deus e da responsabilidade direta do indivíduo perante Deus. Cada pessoa deve arcar com a responsabilidade dos seus atos perante Deus. Adão cometeu o primeiro pecado, pediu perdão a Deus e foi perdoado. O muçulmano não aceita a doutrina que Adão e toda a raça humana foram condenados e que só conseguiram o perdão quando Jesus veio para livrar os pecados dos mesmos. Também não aceita a morte de Jesus na cruz só para acabar com todos os pecados humanos.

11. A crença de que o homem deve assegurar a sua salvação sob a direção de Deus. Para se obter a salvação deve-se combinar fé e ação, crença e prática. (10:9-10; 18:30).

12. A crença de que Deus não responsabiliza nenhuma pessoa antes de lhe mostrar o bom caminho. Portanto o ser humano que não possui todas as faculdades mentais, ou que não tenha tido acesso as mensagens divinas não é responsabilizado por não seguir as leis divinas, será responsabilizado por não seguir o seu bom senso.

13. A crença de que na natureza humana que Deus criou, há mais bem do que mal, e a probabilidade de transformação positiva é maior do que a probabilidade do fracasso sem esperança.

14. A crença de que a fé não está completa se for seguida cegamente, o muçulmano tem que basear sua fé em convicções firmes e bem justificadas, acima de qualquer incerteza. A pessoa que se considerar muçulmana somente pelas tradições da sua família, ou aceitar o Islam sob constrangimento não é um muçulmano completo perante Deus. (2:170; 43:22-24)

15. A crença que o Alcorão é a palavra de Deus revelada a Muhammad através do Anjo Gabriel. É a primeira e mais autêntica fonte do Islam. Foi revelado em árabe, encontra-se na sua forma original porque Deus preocupou-se em conservar o Alcorão e em faze-lo o melhor guia para o homem.

16. A crença nas tradições do profeta "Sunat al-Nabi" como as interpretações práticas do Alcorão.

Fonte: http://www.usislam.org/latinos/Portuguese/PRINC.htm

JESUS, O SUBLIME PEREGRINO

Confira abaixo um trecho do programa Fenômeno UFO, apresentado por Luiz Ricardo Geddo, falando sobre a incrível missão de Jesus, sua condição angelical e os esforços para vir à Terra trazer sua mensagem, segundo a ótica espiritualista de Ramatís.



"Na casa de meu Pai há muitas moradas"

Fonte: TV Mundo Maior . Luiz Ricardo Geddo é ufólogo, espírita e apresentador do programa Fenômeno UFO na Rádio Boa Nova e na TV Mundo Maior.

O QUE É O ESPIRITISMO?

É o Consolador prometido, que veio, no devido tempo, recordar e complementar o que Jesus ensinou, “restabelecendo todas as coisas no seu verdadeiro sentido”, trazendo, assim, à Humanidade as bases reais para sua espiritualização.
É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec, constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.

O QUE O ESPIRITISMO ENSINA?
1. Deus é a inteligência suprema e causa primária de todas as Coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

2. O Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais.

3. Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados (Homens), existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados.

4. No Universo, há outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evolução: iguais, mais evoluídos e menos evoluídos que os homens.

5. Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é o seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.

6. O Homem é um Espírito encarnado em um corpo material. O perispírito é o corpo semimaterial que une o Espírito ao corpo material.

7. Os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexiste e sobrevive a tudo.

8. Os espíritos são criados simples e ignorantes, evoluem intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade.

9. Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante, e depois de cada encarnação

10. Os Espíritos reencarnam tantas vezes forem necessárias ao seu próprio aprimoramento.

11. Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso, intelectual e moral, depende do esforço que faz para chegar à perfeição.

12. Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição a que tenham alcançado: Espíritos Puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores.

13. As relações dos Espíritos com os homens são constantes, e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, nos sustentam nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos impelem para o mal.

14. Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus.

15. A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens , e a solução para todos os problemas da humanos e o objetivo a ser atingido pela humanidade.

16. O homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas consequências de suas ações.

17. A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei de Deus.

18. A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural, e é o resultado de um sentimento inato no homem, assim como é inata a ideia da existência do Criador.

19. A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

PRATICA ESPÍRITA
1. Toda prática espírita é gratuita, dentro do princípio do Evangelho: “Daí de graça o que de graça recebestes”

2. A prática espírita é realizada sem nenhum culto exterior, dentro do princípio cristão de que Deus deve ser adorado em espírito e verdade.

3. O Espiritismo não tem corpo sacerdotal e não adota e nem usa reuniões e em suas práticas: paramentos, bebidas alcoólicas, incenso, fumo, altares, imagens, andores, velas, procissões, talismãs, amuletos, sacramentos, concessões de indulgência, horóscopos, cartomancia, pirâmides, cristais, búzios, rituais, ou quaisquer outras formas de culto exterior.

4. O Espiritismo não impõe os seus princípios. Convida os interessados em conhece-lo a submeter os seus ensinos ao crivo da razão antes de aceitá-los.

5. A mediunidade, que permite a comunicação dos Espíritos com os homens, é um dom que muitas pessoas trazem consigo ao nascer, independentemente da diretriz doutrinária de vida que adote.

6. Prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã.

7. O Espiritismo respeita todas as religiões, valoriza todos os esforços para a prática do bem, trabalha pela confraternização entre todos os homens independentemente de sua raça, cor, nacionalidade, crença ou nível cultural e social, e reconhece que “o verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza”.

O estudo das obras de Allan Kardec é fundamental para o correto conhecimento da Doutrina Espírita.

Fonte: Site da FEB
Related Posts with Thumbnails